Posts Tagged william lilly

Astrologia Moderna e Tradicional

Se você acha que a diferença entre a Astrologia Tradicional e a Moderna é apenas uma questão de usar ou não os planetas geracionais, então recomendo a leitura dos tópicos que apresento abaixo.

Há uma tendência em julgar que a Astrologia Moderna ou Psicológica é um desenvolvimento natural da Astrologia Tradicional praticada entre os séculos XI e XVI na Europa.

A Astrologia Védica e a Chinesa o são diferentes da Tradicional: ambas tem um conjunto particular de métodos e técnicas que não mantém relação com a Astrologia Tradicional. O mesmo pode ser dito da Astrologia Moderna, uma vez que ela é fruto do pensamento e das filosofias dos séculos XX e XXI, sendo independente dos métodos e princípios empregados na Astrologia Tradicional.

Vejamos então as principais diferenças entre ambas:

A Astrologia Moderna emprega em seus fundamentos uma base filosófica que não é astrológica em sua natureza:

O empenho de muitos astrólogos em tornar a Astrologia científica agregou diversos assuntos que são totalmente estranhos a ela: fractais, teoria do caos, física quântica, justificados pelos tratados de Freud e Jung.

A Astrologia tem a sua fundamentação filosófica no platonismo e no hermetismo, com objetivos espirituais que dispensam qualquer justificativa matemática ou científica. Estas correntes levam naturalmente para uma visão mágica ou religiosa dos movimentos celestes, pois são orquestradas por um ser divino em sua essência. E, a visão do céu dos antigos astrólogos era geocêntrica por uma questão de obviedade, uma vez que a Astrologia representa o que é visto.

Estes mesmos astrólogos modernos que introduzem as teses científicas, na maior parte das vezes, apenas as conhecem superficialmente. E talvez desconheçam autores clássicos como Ptolomeu, Vetius Valens, Manillius, Dorotheus, Al Biruni, Abu Mashar, Ibn Ezra, William Lilly, dentre tantos.

A Astrologia Tradicional vê as coisas separadas do nativo:

A Casa II é o dinheiro. Em Astrologia Tradicional representa os seus ganhos, o dinheiro que você ganha e gasta, suas posses, bens e recursos. Ainda, se ele virá facilmente e em quantidade; ou, ao contrário, será obtido a duras penas. Portanto, trata do dinheiro real, aquele empregado para pagar as contas e, eventualmente, a consulta do astrólogo.

A Astrologia Moderna avalia como você lida com o dinheiro, se ele lhe faz bem ou não. Trata-se de um “dinheiro mental” ou “emocional” e não o dinheiro de verdade. Como você se sente quando tem dinheiro? Esta é uma pergunta típica… Ou seja, a Astrologia Moderna tem um enfoque subjetivo sobre temas comumente objetivos.

A Astrologia Moderna interpreta apenas o Mapa Natal:

Desde o início do século XX e posteriormente, com o advento da Psicologia, a Astrologia deixou de tratar de temas objetivos prendendo-se exclusivamente em questões subjetivas associadas à personalidade do nativo. Esta, não possibilita fundamentação para o estabelecimento de previsões ou ainda, para outras técnicas como a Astrologia Mundial, Horária ou Eletiva, ramos da Astrologia Tradicional.

Deste aspectos, se desenvolvem dois outros:

A Astrologia Tradicional tem seu foco na predição; a Moderna, na explicação:

Ao interpretar o caráter do nativo, a Astrologia Tradicional tem como objetivo estabelecer as datas ou épocas em que os eventos prometidos no Mapa Natal ocorrerão. Na Moderna, explicar ou justificar seu comportamento diante das circunstâncias que o envolvem.

A Astrologia Moderna não gosta de dar más notícias:

O importante é que o nativo é dotado de livre-arbítrio para mudar a sua vida. E mesmo que o dinheiro ou a promoção não cheguem, isso não deve ser motivo de infelicidade…

Para dar boas notícias, a Astrologia Moderna mudou até alguns significados clássicos. Isso é mais visível nas Casas Astrológicas:

A Casa VI, tradicionalmente a casa das enfermidades e da servidão, se tornou a casa da saúde…

A Casa VIII, associada à morte, se transformou na casa do sexo e da transformação…

A Casa XII, do exílio e dos inimigos secretos virou a casa da espiritualidade…

A Astrologia Moderna não sabe o que fazer com as dignidades essenciais e acidentais:

Marte, o planeta do conflito e da discórdia, bem como, dos ferimentos em geral, se tornou o astro da iniciativa e da energia. Na Astrologia Tradicional, sua ação sobre as casas ocupadas pelos signos de Áries e Escorpião é tão importante quanto a casa que ocupa fisicamente.

Ainda, a Astrologia Moderna não sabe bem o que dizer quando um astro se encontra debilitado e tende a interpretá-lo normalmente.

A Astrologia Moderna foca a sua interpretação nos astros geracionais:

Um enorme paradoxo, pois a Astrologia Moderna se diz voltada para o indivíduo e tende a explicar as diferenças entre os nativos a partir de configurações de Urano, Netuno e Plutão, astros muito lentos e de natureza geracional!

A Astrologia tem sua provável origem em algum momento em cerca de 2400 aec, sendo compilada pela primeira vez sob Hamurabi, em cerca de 1700 aec. Floresceu no período da Escola de Alexandria, com enormes contribuições de astrólogos gregos e árabes. Esta é a base sobre a qual se fundamentou a Astrologia Tradicional, que ingressou na Europa no século XII, em plena Idade Média. 

Anúncios

, , , , , , , , , , , ,

6 comentários

E ninguém quis sexo

A maior parte dos astrólogos, quando julga sobre sexo, vai direto para a Casa VIII/Escorpião e, às vezes, ainda dá uma olhada na Casa V.

Antes de discorrer um pouco sobre o tema, farei uma observação: a Casa VIII e Escorpião não significam a mesma coisa. Hoje em dia, existe o péssimo costume de usar astro, Casa e Signo como se fossem uma única coisa. Se isso fosse verdade, não haveria necessidade de existirem três símbolos diferentes, bastaria um único.

Vejamos o que William Lilly fala a respeito de Escorpião e da Casa VIII. Depois a gente volta a falar sobre sexo.

Escorpião (qualidades e propriedades): Signo frio, úmido, noturno e fleumático, feminino e da triplicidade da água, fixo e governado por Marte. Geralmente representa indivíduos falsos e traiçoeiros.  Apresenta uma forma física corpulenta e forte, um rosto um tanto quanto largo e quadrado, tez escura, expressão triste, cabelos escuros e volumosos. O corpo é peludo, o pescoço é curto, embora possa ser um companheiro de confiança.

Casa VIII: O declínio do Homem; a qualidade e natureza da morte; seus legados, heranças e testamentos (após a sua morte); dote da esposa ou da noiva, se é muito ou pouco, obtido facilmente ou com dificuldade. Em duelos (disputas), representa o 2º adversário. Em questões judiciais, representa os amigos da Defesa. Representa as angústias, medos e aflições em relação à sua morte. E quem se alegrará ou se felicitará com a sua morte. Relaciona-se com as partes íntimas.

Pela descrição acima dá para perceber as diferenças entre Casa e Signo.

Mas voltando ao sexo…

Se fosse assim tão simples, todo mundo seria bem resolvido nesta área da vida. E não haveria necessidade dos longos estudos e trabalhos de Freud a respeito do assunto. A verdade é que que sexo e procriação são coisas diferentes. E por isso mesmo é que surgiram os preconceitos e os tabus. Contudo, desde a pré-história, não surgiu nada de novo em relação à maneira como o sexo é praticado.

O que Freud chamou de perversão, sempre existiu. O que mudou é que em certas épocas da História era mais ou menos tolerado. Hoje em dia, em tempos de mídia em tempo real, a tolerância é até a mesma, mas a divulgação é ampla. O desejo é essencialmente o mesmo, bem como suas motivações, fetiches e fantasias. No entanto, não existe nada mais complexo na natureza humana do que a sua própria visão a respeito da sexualidade.

Como é impossível distinguir o gênero do mapa natal, também considero ser impossível distinguir a opção sexual da pessoa apenas avaliando as configurações celestes por ocasião de seu nascimento. Assim, sigo um outro roteiro para avaliar os “mecanismos” que levam ou não à manifestação da sexualidade, o que está reprimido ou recalcado, a participação e interferência da educação familiar e cultural, antes de chegar aos seus desejos mais secretos (se houverem alguns).

Primeiro é preciso identificar quais os seus preconceitos e tabus: olhe para a localização do Signo de Virgem, comece o seu julgamento pelas configurações que afetam e interferem esta porção do Zodíaco antes de dar o seu parecer a respeito de qualquer outro posicionamento que indique como a pessoa gosta de ser abordada (Ascendente) ou tocada (Lua). Se prefere um sexo rápido (Fogo na VIII) ou um clima envolvente (Água na VIII).

Mas como hoje ninguém quis saber de sexo, acho que Virgem prevaleceu…

, , ,

3 comentários