Posts Tagged meio-céu

Meio-Céu e o Caminho da Humildade

É muito comum pensarmos numa Astrologia composta de astros e signos, pois esta é a informação que nos chega pela mídia. Porém, os astrólogos-sacerdotes da Antiguidade consideravam também o grau zodiacal em ascensão no horizonte oriental, hoje simplesmente denominado Ascendente.

Quando uma criança está para nascer, basta anotar a hora e verificar num software apropriado qual o grau de seu Ascendente. Os nossos antecessores não dispunham de relógios e ao invés de anotar a hora, iam direto ao assunto registrando a posição dos astros no céu, incluindo-se aí o grau ou signo que se elevava no Leste.

Desenvolvimento da Tecnologia “Astrológica”

Os primeiros relógios precisos surgiram apenas ao final do século XIX, por uma necessidade de determinar a longitude no mar com precisão. Longitude e hora são funções intercambiáveis. Até bem pouco tempo, cada cidade dispunha de um horário particular, o que levava à necessidade de ajustar os relógios mesmo percorrendo pequenas distâncias. A adoção dos fusos horários é bem recente.

Antes do surgimento das modernas calculadoras científicas e, posteriormente, dos computadores, os cálculos mais complexos eram feitos com auxílio de logaritmos. Estes só entraram em cena no século XVIII.

As primeiras efemérides relativamente confiáveis surgiram dos cálculos de Johannes Kepler sobre as observações de Tycho Brache, no século XVII. A trigonometria esférica é diferente da plana, aprendida nas escolas. Embora tenha se desenvolvido nos séculos IV e V, pode ser muito mais antiga.

Todas as tecnologias acima apresentadas são necessárias para a elaboração de um gráfico astrológico e sequer são notadas quando clicamos Ctrl + P para imprimir a representação do céu obtida no computador.

Como então faziam os antigos? Simplesmente olhavam o céu. E já empregavam a maior parte dos métodos astrológicos que conhecemos: Natividade, Mundial, Direções Primárias e Secundárias, Horária, Eletiva, etc…

Os Ângulos: Ascendente e Meio-Céu

AscDesde a Antiguidade, o Ascendente era considerado de fundamental importância, representando a ligação entre a Terra e o Céu no instante da Natividade. Podia ser “visto” na linha do Horizonte, correspondendo ao local de nascimento do Sol, responsável pela vida em nosso planeta e, por isso mesmo, adorado em muitas culturas.

Correlacionando, o Ascendente representa o influxo vital (Terra-Céu) de uma dada Natividade ou Evento. Mostra a sua atitude perante o mundo ao seu redor e como se relaciona com ele. Em sua relação com o Sol, é a ainda a expressão do caráter e natureza do(a) nativo(a) ou do evento.

A partir do momento em que o Sol nasce, eleva-se Hemisfério Oriental até atingir a sua máxima altura (culminação), cruzando o Meridiano do observador. A culminação não é instantânea. Em decorrência da rotação da Terra, pode durar uns poucos minutos antes de iniciar a sua jornada em direção ao Horizonte Oeste até se por, uma vez que o Solpermanece com a mesma altura por um certo tempo. Do momento em que o Sol nasce até a sua culminação, diz-se que o Sol ganha força e poder, diminuindo à medida que se aproxima do ocaso.

A noite é o período de repouso da maior parte dos seres viventes, que recuperam, como o Sol, as suas energias para um novo dia. Os egípcios retrataram esta jornada através da Barca do Sol, possivelmente a inspiração para o surgimento das Casas Astrológicas (Quadrantes).

Quero destacar um detalhe que talvez tenha passado desapercebido: enquanto o Ascendente é perfeitamente mensurável, pois há a referência física do Horizonte, o Meio-Céu não o é. A observação da culminação do Sol é feita desde os primórdios da navegação marítima e resulta na Latitude através de uma relação extremamente simples (a grosso modo, Lat = 90 – h – Dec). A Longitude (Meridiano), além de não corresponder a uma linha “física”, depende de um relógio preciso.

O cálculo moderno do Ascendente e do Meio-Céu.

Como abordei anteriormente, hoje em dia, partimos da hora para representar as posições dos astros e dos Ângulos. E por conta desta característica, o Tempo Sideral (TS) torna-se o argumento necessário para a obtenção das longitudes zodiacais do Ascendente e do Meio-Céu.

É preciso converter o TS em graus, o que resulta na ARMC (Ascensão Reta do Meio-Céu).

Usa-se uma relação extremamente simples para obter a Longitude Zodiacal:

MC = atan (tan (ARMC)/cos E), onde E é a obliquidade da Eclítica.

Porém, o Ascendente, que era obtido por observação imediata, tem uma relação bem complexa:

Asc = acot (-((tan Lat . sem e) + (sen ARMC x cos e))/cos ARMC), onde Lat é a Latitude do observador.

Filosofando…

O Ascendente é perfeitamente visível por ocasião da Natividade, bastando que se olhe para o céu ao invés de olhar para o relógio, quando ela ocorre. Mas se você quiser calculá-lo mais tarde, irá se deparar com uma relação trigonométrica complexa, como se Deus lhe dissesse: “Eu bem que te disse…”

O Meio-Céu é um ponto matematicamente muito simples de ser calculado e é produto direto da hora. Em nossa humanidade “tempo é dinheiro”, é o atalho ou a porta de entrada para o cálculo das Casas Astrológicas Quadrantes. Porém, não tem como se precisamente observado, como se Deus lhe dissesse “Eu estou aqui… venha me descobrir…”

Como vimos, a linha do Meridiano, que contém o MC, tem como polo o Zênite que corresponde ao “furo” da projeção de uma linha perpendicular ao plano do Horizonte na abóbada celeste. O Meio-Céu não é necessariamente o Zênite, embora eventualmente possa até sê-lo. O Zênite é a nossa ligação com o divino e os planos que se encontram além das Estrelas Fixas e do Zodíaco, onde residem os agentes de Deus.

Quando nos apropriamos do tempo, não necessariamente nos apropriamos do espaço correspondente no Universo. Porém, nos equivocamos ao supor que tomamos posse do que é definitivamente divino e transcendente.

A Tradição conta os Quadrantes seguindo a trajetória do Sol, ou seja, no sentido horário. Esta mesma Tradição nos ensina ainda que é preciso morrer e mergulhar nas trevas do Nadir para renascer no Ascendente. A viagem do herói está nas Casas, quando tem de lidar com o seu maior inimigo: sua própria sombra representada pelo desejo de grandeza de se achar semelhante aos deuses…

Anúncios

, , , , ,

Deixe um comentário

WYSIWYG – Lua conjunção Júpiter

Nada como olhar para o céu e admirar a sua imensidão.

E à medida que acompanhamos a sua dinâmica em movimento, observar a sua harmonia.

Em 11/02/2014, Lua e Júpiter formam uma conjunção que pode ser acompanhada visualmente, graças ao céu claro e com poucas nuvens. No mapa astrológico, ocupam a mesma posição ocupam a mesma posição em Câncer.

Mas se você olhar na direção Oeste, verá que existe uma boa distância entre ambos. Esta distância, medida no céu, é de cerca de 5°, muito grande para que a Lua possa ocultar o brilho de Júpiter.

jup_lua

A primeira lição a tirar é que no mundo real, nem tudo é como se vê no mapa astrológico. É preciso ir um pouco além, ampliando as perspectivas, para ter uma visão correta dos acontecimentos.

No caso de uma pessoa que estiver nascendo neste horário, haveria uma boa diferença interpretativa caso a Lua estivesse de fato ocultando Júpiter, pois este perderia uma parcela de sua força e capacidade de fertilidade e progresso.

O mesmo ocorre nos trânsitos, que interferem no cotidiano de todos nós: uma vez que não se trata de uma conjunção física, os dois astros podem operar dentro de suas qualidades e, no caso, somar as suas forças pois ambos se encontram dignificados. Assim, a Lua “carrega” a força de Júpiter para o astro com o qual forma o aspecto seguinte, no caso, uma oposição com Vênus.

Uma possível interpretação desta relação pode ser:

  • Tenho dinheiro para comprar um bom presente e até gostaria de fazê-lo (Lua conjunção Júpiter), mas prefiro não gastar tudo isso (Lua oposição Vênus, retrógrada).

Mas se houvesse uma ocultação, tenho de dar uma interpretação diferente:

  • Não sei onde está o dinheiro para comprar um bom presente, gostaria de fazê-lo (Lua conjunção Júpiter), ainda bem que não precisarei gastar (Lua oposição Vênus, retrógrada).

Lógico que cabem outras interpretações mais elaboradas, eu indiquei apenas uma das possibilidades…

O essencial é não deixar de olhar para o céu.

, , ,

Deixe um comentário

Profecia – Para onde está olhando?

Deseja um método simples para avaliar as perspectivas para qualquer ano de sua vida? Você precisará apenas de seu Mapa Natal! Também é recomendável algum conhecimento do significado das Casas, Signos e Planetas. Mas não precisa ser nada assim tão profundo, uma vez que este método se propõe apenas a traçar algumas linhas gerais. No final deste artigo, há algumas palavras-chave que podem lhe ajudar. Quem me conhece sabe que detesto “receitas de bolo” prontas. Tratam-se da minha versão e você poderá ampliá-las ou mudá-las, se quiser. Então vamos ao método! Primeiramente, tome a idade que você completou em seu último aniversário. Encontre o múltiplo de 12 mais próximo e subtraia da sua idade. Some 1 ao resultado encontrado. As Casas representam as áreas de sua vida e o número indicado acima corresponde à área da vida com a qual você estará identificado(a) ao longo do período compreendido entre o seu aniversário corrente e o aniversário seguinte. Fácil? Precisa de um exemplo? Considere um nascimento ocorrido em 03/01/1969. Em 2014, este nativo terá completado 45 anos. O múltiplo de 12 mais próximo é 36. Subtraindo 36 de 45 obtemos 9. Resta somar 1 e obtemos que a área da vida com a qual o nativo estará identificado é a Casa X (9+1). Interpretamos a sua Casa X como se fosse o Ascendente do ano em curso, até o próximo aniversário, quando o Ascendente cairá na Casa XI. Para uma interpretação mais detalhada, basta seguir as regras habituais:

  • Casa: O regente indica as motivações e origens do que acontece nesta esfera da vida.
  • Planetas na Casa: O que de fato acontece na Casa (pode estar num Signo diferente da cúspide). O dispositor indica as motivações e origens do da ação que ocorre nesta esfera da vida.
  • Aspectos aos Planetas na Casa: Ações que provocam interferências e participações.

Bem, aí você pode estar se perguntando se os seus interesses serão os mesmos aos 12, 24 e 36 anos… Sim, mas o ambiente e as suas reações serão diferentes de acordo com os Trânsitos. Embora você possa obter os Trânsitos facilmente na Internet, eu recomendo entrar em contato com um astrólogo de sua confiança, pois a partir deste ponto, o que era simples se torna ligeiramente mais complexo. A partir deste método, você pode planejar a sua vida para colocar foco no que realmente despertará sua atenção e interesse. A partir do Ascendente, você poderá ainda derivar as demais Casas e avaliar como se comportam as demais áreas de sua vida. Este processo de predizer o futuro é bastante antigo e é denominado Profectionis. Vem sendo incorretamente traduzido como ‘Profecção’. Pesquisando num dicionário de latim, encontramos dois termos mais apropriados: Profecia e Progressão. Também representa a ideia de partir em expedição, viagem ou aventura. Este vocábulo é encontrado em vários documentos do Vaticano se referindo às partidas das Cruzadas. Profectionis é ainda o radical de Profeta e quem profetiza tem o dom do Espírito Santo, como encontramos no Credo de Nicéia. A propósito, existem outras maneiras de progredir o Mapa Natal igualmente denominadas Profectionis. O método indicado acima é o que considero mais simples. Conclusão: Cálculo do Ascendente da Profecia: Idade – Múltiplo de 12 mais próximo + 1. O resultado corresponde à área de sua vida que mais despertará o seu interesse durante o período entre os seus aniversários. Você pode contar as Casas seguintes a partir do Ascendente para saber como estarão as outras áreas de sua vida (dinheiro, casamento, carreira, etc…). Os Trânsitos particularizam o período em curso. http://www.youtube.com/watch?v=rxtUAAuv-LE Significados das Casas:

  • Casa I: O que você se identifica com. Bem estar.
  • Casa II: Dinheiro, posses, valores, bens.
  • Casa III: Irmãos(ãs), vizinhança. Atividades rotineiras.
  • Casa IV: Lar, família, propriedades. Patrimônio.
  • Casa V: Lazer, filhos(as), romance, amigos(as) de copo.
  • Casa VI: Enfermidades, rotinas diárias (doméstica e profissional).
  • Casa VII: Parceiro(a), sócio(a), cônjuge. Inimigos declarados.
  • Casa VIII: Morte (heranças e testamentos).
  • Casa IX: Educação superior, ética, religião. Conselhos e pareceres.
  • Casa X: Prestígio, reputação, carreira. Metas.
  • Casa IX: Amigos(as) de xícara, benfeitores, expectativas.
  • Casa XII: Inimigos ocultos, tristezas, lamentações, isolamento, internações.

A Casa ou Planeta ocupada pelos Signos apresentará as qualidades abaixo:

  • Áries: Onde você se irrita, tem pressa, precipita-se e nem sempre acaba o que começou.
  • Touro: Onde você tem preguiça e faz apenas o necessário para se manter.
  • Gêmeos: Onde você tenta saber sobre tudo um pouco, numa curiosidade superficial.
  • Câncer: Onde você precisa se sentir seguro(a) e aconchegado(a).
  • Leão: Onde você busca os aplausos e o reconhecimento dos outros.
  • Virgem: Onde você se empenha em ser útil através de suas habilidades técnicas.
  • Libra: Onde você busca harmonia, paz e companhia.
  • Escorpião: Onde você vai mais fundo em busca da verdade.
  • Sagitário: Onde você deseja progredir e ir mais longe.
  • Capricórnio: Onde você é econômico(a) no uso dos recursos disponíveis.
  • Aquário: Onde você expõe as suas ideias originais.
  • Peixes: Onde você viaja na maionese e visualiza um mundo melhor.

Alguns significados básicos dos planetas:

  • Sol: Brilho, poder, autoridade, pai. Desejo visceral.
  • Lua: Familiaridade, mãe, amor instintivo, simpatias e antipatias.
  • Mercúrio: Comunicação, intelecto, mente. Crianças.
  • Vênus: Segurança física e material, amor.
  • Marte: Rompimento, cortes, dor. Conquistas.
  • Júpiter: Viagem longa, sacerdócio, estudos, leis, templos, universidades.
  • Saturno: Atrasos, obstruções, impedimentos. Concretizações.

, , , , , ,

4 comentários

Schumacher em coma induzido

sc03Michael Schumacher, o piloto mais vitorioso da F1, acidentou-se enquanto esquiava. Bateu com a cabeça numa rocha, resultando em grave traumatismo craniano. Já passou por duas cirurgias e é mantido em coma induzido. Seu estado é considerado crítico e luta pela vida.

Uma pesquisa sobre este tipo de lesão não sugere resultados alentadores: pode levar à morte ou, o no mínimo, deixar sequelas. É muito raro passar incólume.

Ele nasceu em 03/01/1969, às 13:43, em Hürth, GER. Sua vida foi marcada pelo risco. Mesmo assim, um acidente desta natureza deveria estar indicado no mapa natal. Uma primeira abordagem mostra:

  • Sol na Casa VIII, Capricórnio: Natureza calculista e determinada, sem medo da morte, que é encarada de maneira fria. Ao final de uma corrida, em que acusou Dammon Hill de condução perigosa, teria dito: “Se quiser me matar, encontre uma outra maneira.”. Este Luminar forma uma quadratura com o seu regente, em Áries, signo da Exaltação do Sol.
    Nasceu algumas horas antes da Lua Cheia, o que torna ainda mais frio, calculista e crítico com relação a si mesmo e aos demais. Esta Lua domiciliada em Câncer, na Casa II, é o Hyleg, segundo Bonatti.
  • Marte domiciliado em Escorpião, na Casa VI: É o risco calculado, mas também, a aposta no limite entre a vida e a morte. Juntamente com o Sol e Júpiter (em Libra, na Casa VI), indica o comportamento do piloto nas pistas. Este planeta é o Alcohoden.
  • Saturno encontra-se feliz na Casa II, embora em Queda e num signo interceptado (Casas de Campanus). Portanto, o dispositor do Sol e de Mercúrio, regente do MC, é um astro que não conta com toda a sua força para realizar o que é de sua natureza. Portanto, o seu papel de oferecer limites ou funcionar como um freio, é prejudicado por sua condição no Mapa Natal.

Uma abordagem mais detalhada tem de necessariamente passar pela estrela Alcyone, colocada no Ascendente, numa órbita 11′. A literatura indica que, junto ao Ascendente, é um indicador de ambição, fama e glória. Mas igualmente, de acidentes na cabeça, na face e nos olhos.

sc01O acidente de esqui ocorreu às 11:07, na estação de Meribel, em Albertsville, FRA. Os trânsitos apontam para a falta de atenção e cuidado (Mercúrio Cazimi, Vênus retrógrada no MC, Marte quadrando a Lua e o Sol). A quadratura entre Marte e a Lua, que é o Hyleg, é um indicador de acidente, mas não pode ser tomada isoladamente.

Usando-se o método do Arco Solar, obtido para o dia e hora do acidente, obtém-se:
sc02

  • Marte trígono com Saturno natal.
  • Sol conjunção com Vênus natal (Hyleg, segundo Ptolomeu).
  • Fortuna conjunção com Sol natal.

Nenhuma das indicações acima aponta para seu falecimento.

Saturno é o astro que governa o período da Firdária. Conta com a participação do Sol até Abril de 2015. Novamente, uma indicação de uma longa permanência num hospital ou internação e reabilitação demorada.

A Profecia para 2014 coloca o Ascendente na Casa IX. Neste caso, o MC estará na Casa VI e o IC na Casa XII. As configurações do regente da Casa VI sugerem que, através do seu tratamento, esteja lutando por sua vida (como já foi noticiado). Mas como o regente da Casa XII se encontra na VI, a recuperação não depende apenas da qualidade e natureza do tratamento ou cirurgias pelas quais tenha de passar. Assim, a Profecia não é tão promissora quanto ao futuro do piloto.

Placidus considerou o método do Alcohoden confuso e impreciso e aperfeiçoou o seu sistema de Direções Primárias. Fazendo os cálculos pelo método dos semiarcos e empregando as direções mundanas chega-se que, no dia 22/12/2013, Marte forma uma oposição com Vênus. Este último astro é o regente do Ascendente e é considerado o Hyleg, por Ptolomeu. Portanto, as Direções Primárias também não apontam para a sua morte, mas para um tratamento severo e que oferece graves riscos, especialmente ao sistema nervoso.

As últimas notícias confirmam a seriedade do estado de saúde de Michael Schumacher. Alguns acreditam que não resista ao traumatismo e acabe falecendo. As indicações astrológicas não apontam nesta direção. Contudo, não sou Deus: há resoluções que só cabem à Ele.

, , , , , , , , , , , , , ,

5 comentários

Oscar Niemeyer entre as nuvens

E o gênio se foi.

Muito adiante de seu tempo, legou diversas obras pelo mundo inteiro. Tão humilde quanto brilhante, percebia a vida com a mesma leveza com que criava as suas obras.

Planejou Brasília, mas também é criador (junto com Courbisier) da sede da ONU em NY.No exterior, tornou-se respeitado a partir das soluções encontradas para as colunas da Universidade de Argel.

Para quem não assistiu, recomendo “A Vida por um Sopro”, documentário que foca a relação entre Oscar Niemeyer e as suas obras, por ele mesmo.

Faleceu em 05/12/2012, às 21:55, no Rio de Janeiro. Estava internado desde o dia 02/11/2012, quando a Lua transitou Júpiter retrógrado em Gêmeos, em sua Casa I.

Embora seja extremamente difícil, sob a ótica da Astrologia, indicar a data da morte, uma análise permite ver a tensão que seu mapa estava submetido:

Direções de Arco Solar:

  • Meio-Céu (Gêmeos) quadratura Saturno.
  • Mercúrio quadratura Sol.

Direções Secundárias:

  • Lua conjunção Meio-Céu,
  • Lua quadratura Mercúrio (exilado).
  • Mercúrio conjunção Marte.

Trânsitos:

  • Lua conjunção IC (o fim e o começo de todas as coisas).
  • Marte sesquiquadratura Ascendente.
  • Marte conjunção Nodo Lunar Sul (exato).
  • Marte conjunção Vênus.
  • Marte quadratura Parte da Fortuna (diz respeito ao corpo físico).

Como se pode perceber, há um conjunto de fatores que levam à sua debilidade. Nas Direções, percebe-se uma tendência a debilidades do sistema respiratório. Lembrando que Niemeyer era fumante. Os Trânsitos apenas jogam a pá de cal nas indicações apontadas nas Direções.

Talvez por uns dias, enquanto a alma do gênio da Arquitetura se eleva, as nuvens formem um contorno mais harmonioso no céu, homenageando a sua transição.

Niemeyer

, , , , , ,

3 comentários

Onde está a sua estrela?

Olhe bem para o seu mapa astrológico e observe uma linha mais escura, destacada, que aponta para a parte superior, para um par de letras, um código denominado MC. Corresponde exatamente ao Mio-Céu ou Medium Coeli, em latim.

Astronomicamente, é o Zênite. Onde fica esse tal de Zênite? O que é? Se você estiver de pé, corresponde a um ponto no céu exatamente acima de sua cabeça, que fica no prolongamento da linha que parte do centro da Terra, passa por sua coluna, atravessa o cérebro (misteriosamente passando pela glândula pineal) e indo alcançar o céu.

Tecnicamente, corresponde à imagem que você deseja projetar em seu meio social, a reputação que pretende construir ao longo de sua vida e, muito provavelmente, à sua carreira.

No entanto, é muito mais do que isso pois, quando você se prepara para vir para este mundo, para uma nova encarnação, O Meio-Céu é justamente onde você coloca a sua energia para elaborar um plano ou projeto, uma espécie de programa para a vida em curso.

É também por onde você inicia o processo de encarnação, que ocorre primeiramente no útero da mãe, vindo a aflorar, por ocasião do nascimento, no Ascendente.

O tal do Meio-Céu, por seu significado, é onde você poderá encontrar a razão pela qual se encontra encarnado. Corresponde ao seu mito pessoal e tudo o que você fizer por ou através dele, leva a tornar-se uma espécie de herói.

De certa forma, é como se você estivesse restabelecendo a ligação entre a Terra e o Céu, através de você (via sistema nervoso, na coluna e, da glândula pineal).

Portanto, se você estiver em busca de seu mito pessoal, para acordar o seu herói interior e viver mais plenamente, um dos caminhos mais rápidos é obter o seu mapa astrológico antes de seguir pelos próximos passos.

, , ,

1 Comentário