Posts Tagged marte

2018, a Copa do Mundo e as Eleições

Confesso estar pouco disposto a escrever sobre “previsões 2018” ou sobre “previsões para os Signos 2018”. A humanidade vive um momento de transição que ainda levará alguns anos. E particularmente no Brasil, basta acompanhar o noticiário para ser tomado pelo pessimismo.

Por outro lado, é preciso lembrar (todos astrólogos o fazem) que as previsões para o ano são obtidas, à princípio, empregando o mapa do ingresso do Sol em Áries, que ocorrerá em 20/03/2018. Este mapa é de fato considerado o mapa do “Ano Novo Astrológico”, aquele que dispõe sobre os temas e o tom do ano em curso até o próximo ingresso, no ano seguinte.

Uma das principais características do ano de 2018 é que todos os Astros ficarão retrógrados, inclusive Marte e Vênus. Ocorrerão três eclipses solares, nenhum deles visível no Brasil, embora mereça alguma atenção aquele que ocorre em 11/08/2018, visível sobre o nordeste da Ásia (China, Mongólia…) ao norte da Europa (Suécia, Finlândia, Noruega…) até a Groelândia, uma vez que forma conjunção partil com Vênus do mapa da Independência do Brasil.

Este Astro (Vênus) teve participação importante nos eventos recentes de nosso país, especialmente na Era Temer, além de estar conjunto ao nefasto Nodo Lunar Sul (Cauda do Dragão).

Júpiter e Saturno vibram no tom de uma semiquadratura minguante, aspecto que não é considerado na Astrologia Tradicional, embora seja de grande importância como indicadora da “eletricidade” compartilhada por dois Astros. Trata-se de um aspecto moderadamente tenso, que prepara o terreno para a conjunção que se aproxima (ocorre em dezembro de 2020).

Portanto, dos tópicos acima listados, não dá mesmo para esperar nenhum evento de proporções midiáticas, impactante a ponto de ser tomado como fator de mudança de uma era ou de uma geração. O fato é que, como um todo, 2018 será um ano morno até o início de novembro, quando Júpiter ingressa em Sagitário. Como Saturno já se encontra em Caprícórnio, nos dois últimos meses do ano teremos estes dois Astros superiores domiciliados, embora sem manterem relação entre si.

As retrogradações destes dois Astros ocorrem todos os anos e novamente se superpõem parcialmente, em razão de sua proximidade zodiacal. Porém, a retrogradação de Marte acrescenta um tempero adicional ao período entre o final de junho e o final de agosto. Júpiter retoma ao movimento direto cerca de uma semana após o início da retrogradação de Marte, que por sua vez, retoma ao movimento direto uma semana antes de Saturno.

Há uma retrogradação de Mercúrio nesta mesma época, ocorrendo entre 26/07 e 19/08, formando três conjunções justamente com a Vênus que citei acima, do mapa da Independência do Brasil. Este será o período mais confuso do ano e com reflexos em nossa atividade produtiva (indústrias) e nos esportes.  É provável que se estenda ainda para o setor de serviços, particularmente aquele voltado para o turismo de negócios.

E Vênus retrograda em Escorpião/Libra entre 05/10 e 19/11. Ou seja, exatamente no período correspondente às eleições gerais no Brasil, para todos os cargos do executivo e do legislativo. Se você estiver contando com alguma limpeza ou renovação dos quadros políticos, a expectativa, com este movimento de Vênus, é que teremos mais do mesmo, particularmente no legislativo.

brasil 2018

Há a Copa do Mundo, entre 14/06 e 15/07, na Rússia. Este evento está compreendido entre duas conjunções entre Marte e Saturno, ambos em Capricórnio: a 1ª conjunção ocorre em 08/06, com Marte direto e Saturno retrógrado; a 2ª conjunção ocorre em 28/07, com ambos retrógrados. Vênus formará uma conjunção com Vênus do mapa natal da Independência do Brasil em 29/06. Júpiter estará na órbita de um sextil com o Sol do mapa natal da Independência do Brasil.

Acredito que a seleção brasileira passará facilmente pela 1ª fase. A partir da 2ª fase, os adversários tornarão o caminho para a conquista da Copa mais difícil. De qualquer modo, veremos uma equipe onde a colaboração, a cooperação e o entrosamento produzem os resultados (gols). Apesar de realizar um bom trabalho, é pouco provável que esta equipe seja campeã (deve chegar em 2º ou 3º lugar).

Qualquer que seja o resultado da Copa, será uma época (antes e depois, como de costume) em que os problemas do país serão temporariamente deixados de lado, o que não é novidade.

Aí é hora de pensar nas eleições. E a primeira pergunta é se Lula será candidato. O julgamento de Lula em 2ª instância será ainda no 1º semestre e pode torná-lo inelegível. Há um período crítico e decisivo com relação às suas pretensões ocorrendo após o Carnaval, em fevereiro. Este julgamento deve ocorrer nos últimos dias de abril ou nos primeiríssimos dias de maio e, mesmo que não seja preso, deve ser tornado inelegível, ficando fora da disputa (ao menos num 1º momento).

Lembra-se daquele período em que ocorrem várias retrogradações? Pois é, entre outras coisas pode indicar alguma comoção popular, bem como, as tentativas da defesa do ex-presidente em invalidar ou desqualificar o julgamento… aí vem a Copa… e muitas coisas acontecerão nos bastidores…

Bem… e quem ganha as eleições? Já existe uma lista de possíveis candidatos e outros ainda podem surgir. Portanto, o mais adequado é tentar descrever o perfil daquele que tomará posse. Tenho até o meu palpite, para não dizer que faço proselitismo.

Para obter a informação de quem subirá a rampa do Palácio do Planalto, uso o mapa da posse. Combinando com as Direções Secundárias de Arco Solar do mapa da Independência do Brasil e seu mapa natal, chega-se a uma tônica de Saturno. Portanto, o próximo presidente eleger-se-á a partir de uma plataforma de austeridade econômica, retorno aos fundamentos da economia, É bastante provável que se mostre bem identificado com os problemas do país, bem como, com o funcionamento do Congresso. Durante a campanha eleitoral, terá de lidar com suspeição, embora nada seja efetivamente provado a seu respeito (e nada surgirá depois).

O que irá lhe assegurar a vitória será a sua capacidade de se comunicar com as bases populares, sem exatamente se tratar de um candidato populista. Em outras palavras, saberá dizer o que os outros querem ouvir. Sua campanha iniciar-se-á por meio de palestras a empresários do país e coalização com os governadores dos Estados. Antes de assumir, deve articular com os líderes partidários e iniciará seu mandato com um voto de confiança do de deputados e senadores.

Se eu estiver certo com respeito ao candidato vencedor, será durante o seu mandato que veremos, após cerca de dois anos (um ciclo de Marte) o Brasil voltar a crescer, baseado tanto na confiança interna em razão da austeridade e respeito às regras, como também, ao estímulo às exportações (que tanto interessa à indústria, agronegócio e mineração).

De toda forma, o ano de 2018, apesar de morno, será um ano de esperança, de sonhos e de expectativas. Embora a Câmara e o Senado pareçam andar um na contramão do outro, os sinais de recuperação da credibilidade virão da Câmara baixa e não da alta.

Outras áreas de interesse:

Cultura: Surge um novo estilo musical ou de dança, que logo vira modismo. A cultura popular tem projeção na mídia, graças à curadores ou campanhas através de organizações com capacidade de penetração. Mostras fotográficas com temas históricos devem percorrer algumas capitais do Brasil.

Educação: Apesar do marco regulatório proposto e aprovado no final de 2017, ainda persiste a evasão no período do ensino fundamental. Ocorrerão quedas de braço entre a justiça trabalhista e as universidades “fast food”, que contam com capital estrangeiro. Melhor para as universidades…

Esportes: Destaque para o atletismo e muita esperança no futebol. Porém, os destaques ocorrem nos esportes individuais e não nos coletivos, muito mais em função de um talento do que em razão do desenvolvimento técnico. Os esportes de luta, como boxe, judô, etc… devem receber premiações.

Religião: Apesar de sermos um país laico, as bancadas religiosas (especialmente as articuladas  bancadas evangélicas) terão algum revés na justiça, em razão de problemas legais de alguns líderes em países do exterior. Não custa recordar que os líderes de duas grandes igrejas evangélicas são investigados nos EUA (entrada ilícita de valores, evasão de divisas e sonegação fiscal).

Anúncios

, , , , , , , , , , , , ,

3 comentários

O ataque a Shayrat

Preparei um pequeno clipe explicando o mapa do ataque.

  • Principais tópicos:
  • Ascendente em Peixes.
  • Júpiter retrógrado em oposição ao Sol.
  • Marte sem aspecto.

, , ,

Deixe um comentário

Manifestações e confrontos

encrenca_localizada

O mapa da esquerda representa a 1ª conjunção de Marte com o Meio-Céu do Mapa da Independência do Brasil, ocorrida em 10/03/2016, ainda antes das manifestações de 13/03. Esta é uma típica indicação de mudanças no âmbito do governo do país. Saturno em Sagitário corresponde à insistência da Presidente em permanecer à frente de seu mandato.

Tanto Marte como Saturno se encontram à disposição de Júpiter, exilado em Virgem, que forma a 1ª quadratura com Saturno em 23/03/2016 (seus efeitos, entretanto, podem ser sentidos com cerca de duas semanas de antecedência, estendendo-se por igual período após a data acima). Esta quadratura representa a queda de braço entre a Justiça e a Presidente, que tem a sua competência contestada.

Com Marte participando deste enredo e, principalmente por se tratar do Signo de Sagitário, que tem natureza bélica, há um forte clima de animosidade no ar e uma predisposição à violência. Por ocasião da manifestação, graças à disposição de Júpiter sobre Marte, prevaleceu a ideia de que a Justiça poderia mudar os rumos da nação através de um trabalho eficiente e diligente.

Porém, embora Júpiter se encontre exilado, está numa Casa Astrológica angular, o que o torna acidentalmente importante, relevante e significativo, representando um “adversário” ao governo. O Signo em que está pode tranquilamente representar o papel de “limpeza” que a Justiça vem exercendo neste caso.

Gostaria de olhar para adiante e, o mapa seguinte, à esquerda, representa a 2ª conjunção de Marte, agora retrógrado, forma com o Meio Céu do mapa da Independência do Brasil em 22/05/2016. Note que em ambos os mapas ocorre a quadratura entre Júpiter e Saturno. Há diferenças entre as quadraturas de março e maio:

  • 23/03/2016: Júpiter retrógrado com Saturno direto/estacionário, Governo com algum poder de manobra, Justiça se organizando.
  • 26/05/2016: Júpiter direto com Saturno retrógrado, Justiça atuante e Governo se encolhendo.

Note a conjunção de Júpiter sobre o Sol do mapa da Independência do Brasil nas duas ocasiões das conjunções de Marte. Observe ainda a posição da Lua por ocasião da 2ª conjunção de Marte, separando-se de Marte retrógrado e aplicando-se a Saturno. Há uma boa possibilidade de renúncia nestes dias, para tentar conter o aumento da violência nas ruas, o que justificaria a intervenção das Forças Armadas para restabelecer a ordem.

É bom lembrar que, durante todo o período estudado Saturno (governo) estará à disposição de Júpiter (Justiça).

Porém, se ela resistir ao mandato, será destituída nos primeiros dias de agosto.

, , , , , ,

Deixe um comentário

Encrenca à vista…

Os ciclos se repetem e normalmente, são indicadores de acontecimentos que se repetem de maneira semelhante.

Encontra-se em formação a quadratura entre Júpiter (Virgem, exilado) e Saturno (Sagitário), onde o primeiro dispõe sobre o segundo. Esta configuração, por si só, não tem o poder de mudar absolutamente nada, mas é um forte indicador de tensão que impele a mudanças de natureza ética e econômica.

O Signo de Sagitário tem uma forte componente belicista, governa a Cavalaria (hoje em dia, com tanques e helicópteros). E neste Signo, também encontramos Marte, este sim, o soldado por excelência. Este astro ficará retrógrado a partir de 17/04, funcionando como um rastilho de pólvora e disparando os eventos de maneira errática e imprevisível. Quando me perguntaram a respeito das manifestações, eu olhava para ainda mais distante, com a visão voltado para a Europa (refugiados) e o Oriente Médio (conflitos armados).
Na verdade, a minha expectativa para os próximos três meses é de catástrofes, incêndios, explosões, atentados… E muitas mortes violentas.

As configurações que vivemos atualmente são semelhantes àquelas vividas entre fevereiro e abril de 1986. Logo no início do ano, ocorreu a quadratura entre Júpiter (Peixes, domiciliado) com Saturno (Sagitário). Marte também transitava em Sagitário e formou uma conjunção com Saturno. Vênus se encontrava perigosamente no Signo de Áries. E Mercúrio ficou retrógrado entre 06 e 30 de março.

São configurações muito semelhantes a que experimentaremos em breve. Porém, há uma componente adicional, uma vez que a quadratura entre Júpiter e Saturno ocorre em duas ocasiões: 23/03/2016, Júpiter retrógrado e Saturno direto/estacionário; e 26/05/2016, com Júpiter direto e Saturno retrógrado. Num primeiro momento, a tensão entre estes dois astros não se apresenta, é contida e represada. Extravasa-se a partir da segunda quadratura.

Marte não formará nenhuma conjunção com Saturno neste momento. É Vênus que faz a ligação entre ambos, o que torna os eventos menos catastróficos, mais pontuais e de menores proporções em relação àqueles ocorridos em 1986. Gostaria de lembrar que, para os Maias, o planeta Vênus representava a deusa da guerra. E é Ptolomeu que afirma em um de seus aforismos que Vênus transitando por Hamal (estrela) resulta em guerra e morte de reis.

A minha expectativa é um aumento de incêndios significativos com mortes e também, um aumento no número de atentados. Como um todo, um período (março a maio de 2016) com mais acidentes e mortes violentas em relação ao mesmo período do ano passado. A retrogradação de Mercúrio em Touro tende a abrandar o alcance dos desastres, ou seja, serão eventos localizados e não grandiosos como os ocorridos no início de 1986.

O diagrama abaixo ilustra os trânsitos de março a maio e as datas em que ocorrem:

encrenca

Compare com os desastres e catástrofes ocorridos em 1986. Note que ocorreram num intervalo de quatro meses:

  • 17/01/1986: Incêndio do Edifício Andorinha (Rio de Janeiro).
  • 28/01/1986: Explosão do ônibus espacial Challenger.
  • 31/03/1986: Explosão do Boeing 727 na Cidade do México, matando todos os 168 ocupantes.
  • 05/04/1986: Explosão na Boate La Belle (Berlim), matando duas pessoas e deixando 155 feridos.
  • 26/04/1986: Explosão do reator nuclear de Chernobyl (Ucrânia), 400 vezes mais potente que a Bomba de Hiroshima.

Sendo assim, conclamo que todos aqueles que puderem orar ou realizarem alguma prática que contribua para a maior harmonização da humanidade e das energias de nosso planeta, que não deixe de fazê-lo, para atenuar as consequências das configurações acima listadas.

, , , , , ,

1 Comentário

Equinócio de Outono, 2015

O Equinócio de Outono ocorre quando o Sol transita o Ponto Vernal. Por definição, o Ponto Vernal é o cruzamento da Eclítica com o Equador, quando o Astro-Rei se dirige para o Hemisfério Norte. O Ponto Vernal corresponde a 00° do Signo Zodiacal de Áries. Resulta no início da Primavera, no Hemisfério Norte e, do Outono, no Hemisfério Sul.

Astronomicamente, corresponde ao início de um novo ano terrestre. Os astrólogos calculam o instante exato deste evento para elaborar um mapa de tendências para o ano que se inicia. A carta astrológica assim obtida pode ser comparada com os países e cidades para avaliar os eventos esperados para o período.

Denomina-se Ingresso do Sol em Áries a esta carta anual, ocorrida em 20/03/2015, às 19:45, para o horário de Brasília.

No dia anterior, houve um Eclipse Solar total no último grau do Signo Zodiacal de Peixes, que deve ser considerado na interpretação do Ingresso do Sol em Áries.

Eclipse Solar

Apesar de não ter sido visível no Brasil, sua ação se estende ao país graças ao parans. É basicamente uma indicação da necessidade de mudanças, pois ocorre no Nodo Lunar Sul. Os astrólogos da antiguidade temiam os eclipses que ocorriam no nodo sul por ser um indicador de más notícias. Essencialmente, este eclipse é um indicador de sofrimentos, de pobreza e um potencializado de conflitos. Cumpre notar que o eclipse ocorre na Face de Marte, a mesma Face da Lua do mapa Ingresso do Sol em Áries.

Ingresso do Sol em Áries

ingresso1Ocorre com Marte e Vênus domiciliados, respectivamente em Áries e Touro. Contém um Grande Trígono formado por Lua, Júpiter e Saturno, nos Signos de Fogo. Os astros sociais se encontram retrógrados. A Lua se separa de Saturno e se aplica a Júpiter, o que é considerado benéfico. Mercúrio se encontra exilado em Peixes. Marte e Mercúrio encontram-se sem aspectos, ou seja, não “dialogam” com os demais astros.

Marte é o astro que preocupa. Domiciliado, pode se manifestar em seu mais alto grau, com todo o seu calor e secura, provocando toda sorte de inflamados conflitos de que é capaz. Governa quase todos os demais astros, com exceção de Vênus (domiciliada em Touro). Como se encontra, sugere conflitos, discórdia e divergências de todos os tipos, mas sem soluções ou resultados palpáveis.

Como os astros sociais se encontram retrógrados, são nítidas as limitações e impedimentos para que as classes dirigentes (políticas e empresariais) possam realizar o que desejam ou implementar qualquer tipo de ação, apesar da tendência a tentar fazer a vontade expressa pelos conflitos (no Brasil, pelas manifestações).
Ao longo do mundo, pode-se esperar por muitas tempestades com raios e erupções vulcânicas em regiões onde isso não era esperado, sempre com pequeno número de vítimas.

Há destaque para todas as modalidades esportivas, embora sempre com o espírito comercial acima do esportivo. Algum atleta importante não poderá participar de um evento fundamental para a sua modalidade em razão de um acidente grave.

Brasil

A pergunta que se faz é a respeito da presidenta. Não é preciso ser astrólogo para saber que não haverá impeachment. Como abordei ainda em 2014, qualquer que fosse o presidente eleito, teria dificuldades econômicas e insatisfação popular.

ingresso2Economia: Graças às empresas estrangeiras instaladas no país, haverá movimento da economia, refletindo-se no comércio a partir do final de junho. Até lá, lidaremos com desemprego crescente. Aumenta o número das empresas individuais em todos os setores, especialmente no de serviços, alimentado pelos desempregados das indústrias. Em sua maior parte, são mão de obra especializada, com qualquer nível de conhecimento. Câmbio em alta até meados de julho. O setor da construção civil que não está envolvido nas investigações da Polícia Federal tende a continuar a tendência de fusões, mas também se encontra em crise: boa época para comprar e há uma tendência de baixa para o 2º semestre do ano.

Educação: Particularmente o Ensino Fundamental, passa por graves dificuldades financeiras. A tendência é de evasão escolar. Haverá ainda uma pequena migração de alunos das escolas privadas para as públicas. A solução passa pela organização das comunidades envolvidas, com a participação de pais e professores na solução dos problemas de manutenção das escolas públicas. As maiores dificuldades surgirão na rede municipal.

Política: Prosseguem as investigações. Outros casos surgirão em torno da Operação Lava Jato. A perspectiva de repatriar o dinheiro desviado é mínima ou em quantidades mínimas (até 5%). O Congresso e o Planalto ficam sem se entender até pelo menos o final do 1º semestre. O Brasil se encontra à beira da ingovernabilidade, sustentado apenas pela economia (sistema financeiro) e alguns dirigentes da indústria e do comércio. A força dos sindicatos diminui em razão do desemprego, aumentado a dos setores patronais, embora sem resultados práticos. O Senado, gradualmente, assumirá a função de poder moderador.

São Paulo

É a locomotiva do Brasil e onde ocorreram e continuam ocorrendo as maiores mobilizações populares.

ingresso3A tendência é um alinhamento ambíguo do governador com o Planalto, talvez motivada pela crise hídrica. As manifestações ocorrerão até o final de junho, algumas bem violentas. Há uma tendência a aumentar os assaltos a caixas eletrônicos, sequestros relâmpago e assassinatos. A polícia age fortemente, mas sem conseguir prever as ações. Portanto, o violência urbana se intensifica.

A falta de recursos e investimentos e a crise hídrica serão os temas mais importantes na cidade. As investigações do metrô (Linha 4 e Caso Alstom) continuarão sem solução, pois sempre caberão novos embargos judiciais. E com a crise financeira e câmbio desfavorável, diminuem as PPP (Parcerias Público-Privadas). Não será fácil obter empréstimos no exterior para suprir a ausência de empresas interessadas em participar das licitações.

E não precisa ser astrólogo para prever que novas árvores cairão sobre fios, em razão das fortes tempestades que ocorrem até o início de abril. A população em geral (condomínios, comércio e indústria) instalam poços artesianos. Há um estudo de viabilidade técnica de utilização do Aquífero Guarani, engavetado desde os anos 80…
As ciclovias do prefeito Haddad ainda darão o que falar. Acabará conseguindo implantá-las em razão da morte de dois ciclistas nas avenidas em obras ainda no primeiro semestre.

O ponto positivo é que aumentam as atividades culturais alternativas na periferia da cidade e com eles, os projetos conduzidos pelas comunidades, sem a participação dos órgãos oficiais.

, , , , ,

2 comentários

Conflitos pelo Mundo

O século XX assistiu a dois grandes conflitos armados que polarizaram o mundo conhecido.

Neste início de século XXI, acabamos de assistir a dois episódios terroristas que chocaram o mundo, na França.

Quando houve o ataque às Torres Gêmeas, os EUA invadiram o Iraque até a deposição de Saddam Hussein. De um ponto de vista pessoal, talvez tenha sido uma boa empreitada. Mas não se pode dizer o mesmo de uma perspectiva econômica: bilhões de dólares foram investidos a fundo perdido na reconstrução daqeule país, sem qualquer unidade política e cada vez mais mergulhado na miséria que já se encontrava antes da chegada das forças da coalizão.

Aí os objetivos mudaram para o Afeganistão, de onde os russos já tinham saído há muito tempo… Forças especiais mataram Osama Bin Laden. Mas o conflito naquela região continua sem solução, a ponto dos países que compuseram a aliança estarem abandonando o país à sua própria sorte.

Na Ucrânia, apesar do cessar-fogo, foi o inverno rigoroso que trouxe uma trégua à região, que já contabiliza cerca de cinco mil mortos.

Estas são os conflitos com perfis mais convencionais… A regionalização do mundo (processo inverso à globalização) está acarretando, por outro lado, vários conflitos localizados, pouco noticiados em nosso país.

broken-rope

O Estado Islâmico provocou uma guerra civil repleta de atrocidades no Irã e na Síria. Milhões de refugiados já abandonaram seus lares em busca de uma vida melhor.

O Sudão do Sul também vive uma violenta guerra civil que, por enquanto, não tem perspectiva de solução e é considerado o mais grave de todos os conflitos. Há vários organismos internacionais envolvidos no esforço da paz. Basicamente, os conflitos são entre os leais ao presidente atual e o anterior, com os militares combatendo a ambos os lados com violência. O país se encontra falido, sua infraestrutura já entrou em colapso. Cerca de cinquenta mil mortos e dois milhões de desalojados.

Quer mais? O Boko Haram continua destruindo a Nigéria e sua população. Na Somália, o inimigo é o Al Shabbab, trata-se de outro conflito tribal. A República Democrática do Congo está sob intervenção das Forças de Paz da ONU, mas também é sacudida pela guerra civil resultado das rivalidades tribais.

No Iêmen, todas as negociações políticas fracassaram na transição para uma democracia. Esta é considerada a maior incógnita. O país se encontra parcialmente arrasado. Seu maior parceiro é a Arábia Saudita. A ONU vem envidando esforços para evitar um conflito fora de controle.

Situação semelhante é vivida na Líbia…

Júpiter e Saturno, desde 1980, formam Grandes Conjunções nos Signos de Ar, dados a conversas e negociações. Muitas vezes, excesso de conversa é também falta de iniciativa. Em 2000, tivemos a conjunção híbrida, ocorrida em Touro. Em 2020, a conjunção entre estes dois planetas se dará no início do signo de Aquário. Em 2015 e 2016, ocorrerão quadraturas minguantes entre Júpiter e Saturno. Nenhuma destas configurações prenuncia novidades e muito menos, guerras.

Entretanto, a generalização destes e outros conflitos é bem possível, mantendo a tendência de fragmentação e regionalização.

Atualmente, a grande pergunta é com relação ao terrorismo proveniente de algumas células que se abrigam à sombra do fundamentalismo extremista islâmico.

Neste sentido, as quadraturas entre Júpiter e Saturno, potencializadas pelos trânsitos de Marte, são indicadores de situações de risco. Alemanha, França e Austrália são (astrologicamente) os países com maior potencial para atentados terroristas com pano de fundo religioso. O próximo período crítico será em Agosto deste ano e o seguinte, entre Março e Junho de 2016.

Enquanto isso, vamos conversando e trocando ideias, como fazem aqueles dos signos de Ar.

Fonte consultada: 10 Wars to Watch in 2015.

, , , , ,

Deixe um comentário

Os pepinos de Janeiro

pepinoMarte costuma ser o indicador de problemas. Procure por ele no mapa ou nos trânsitos para encontrar as encrencas.

Este mês, começa com uma oposição a Júpiter retrógrado, em 01/01, de Aquário para Leão. Esta configuração coloca frente à frente engenhosidade com criação, sem solução para um ou para outro. É bastante nefasto para quem lida com informação ou sistemas em geral, pois não encontra solução para os problemas.

Entretanto, Júpiter, que já se encontra retrógrado e dispões sobre os negócios, sugere possibilidades que não se concretizam. Com esta oposição com Marte, além de não se concretizarem, parecem se desfazer, simplesmente ir embora. Prenuncia, portanto, dificuldades financeiras particularmente para os profissionais liberais ou autônomos.

Também podem surgir grandes despesas, nem todas previstas ou então, taxas com valores acima do esperado.

Depois da oposição, a relação entre ambos fica minguante: as dificuldades e desafios devem ser encarados como maneira de encontrar soluções que possibilitem crescimento e prosperidade. E qual é a saída diante da falta de engenhosidade? Aguardar um pouco e contar com a criatividade.

Marte também formará uma quadratura com Saturno, desta vez, de Peixes para Sagitário, no dia 15/01. Trata-se de uma quadratura crescente, que se encaminha para a oposição, que ocorrerá em Maio. Esta é uma combinação que leva à inação, reforça a ausência de resultados, apontando muitas vezes para decisões equivocadas. Profissionalmente, esta combinação é desastrosa, num período em que a busca de soluções pode chegar à beira do desespero.

Para complicar, Mercúrio ficará retrógrado em Aquário no dia 18/01, antes da oposição com Júpiter ficar perfeita. Se ficasse perfeito, poderia ser de alguma ajuda com relação à oposição com Marte. Enquanto direto, caminhará lado a lado com Vênus, favorecendo todas as relações de amizade e oferecendo boas oportunidades de diálogo em todas as relações, mas especialmente nas que envolvem algum tipo de afeto.

A conjunção entre Mercúrio e Vênus, primeiro em Capricórnio e depois em Aquário, aponta para alinhamento de propósitos, duas pessoas falando as mesmas coisas no mesmo idioma.

A partir do dia 18/01, Vênus deixa Mercúrio para trás encerrando o mês em Peixes, formando ainda uma quadratura com Saturno. É o romantismo de resultados…

E enquanto isso, Mercúrio retrógrado em Aquário é justamente o que você irá precisar para rever decisões, opiniões e pontos de vista ou ainda, para avaliar maneiras totalmente diferentes ou inovadoras de fazer as mesmas coisas. Esta retrogradação é que colocará a casa em ordem.

, , , , ,

Deixe um comentário