Posts Tagged crise

O que há de comum nas “Astrologias”?

Recentemente, respondi uma postagem sobre a possibilidade de reunir num mesmo cesto Astrologia Tradicional, Psicológica, Chinesa, Védica, Cármica, Cabalística, Hermética, etc…

Será que é possível? Será que existe algum denominador comum que as poderia entrelaçar uma na outra?

A Astrologia como Conhecimento foi organizada e sistematizada na Babilônia em cerca de 1700 aec, o que pressupõe que já existisse anteriormente. Há registros do saber astrológico no Egito, na Índia e na China. E é provável que também em outros locais, como no norte da Europa e nos Andes. Porém, a corrente que resultou na Astrologia que chegou à Europa (Roma) no século II aec era aquela derivada da Escola de Alexandria, reunindo os saberes dos sábios egípcios (astronomia) com a filosofia grega.
Há registros da observação de Urano na China e na Índia. Nas tabuinhas de argila da Suméria, encontramos registros dos planetas até Plutão, incluindo-se os asteroides.

A Astrologia Védica é contemporânea deste veio principal da Astrologia e, embora tenha forte influência do período inicial da filosofia grega, não se manteve presa a esta, permitindo-se ser permeada por sua própria cultura. Assim, a Astrologia praticada na Índia teve um desenvolvimento à parte, seja em seus aspectos teóricos como filosóficos. Em primeiro lugar, temos que considerar que para as religiões hindus, temas como carma e destino são essenciais para o entendimento de sua cultura. Um hindu nascido numa casta deverá permanecer nesta casta e apenas poderá mudar ao longo de várias vidas sucessivas, a partir de seu merecimento.

Um Mapa Natal védico reflete o destino imutável daquele nativo em particular. Por esta razão, um de seus principais objetivos é encontrar a parceira certa para um dado nativo. Ainda, os métodos de interpretação e são muito diferentes daqueles a que o astrólogo ocidental está acostumado a empregar. Como empregam o Zodíaco Sideral, coexistem diversos métodos diferentes para calcular a correção existente entre os dois Zodíacos (Tropical e Sideral).

A Astrologia Védica desenvolveu-se à mesma época da Astrologia no Egito e na Grécia, mas com uma visão, filosofia e métodos próprios, que a tornaram independente de suas origens.

A Astrologia Chinesa é absolutamente baseada em seu calendário religioso, que é soli-lunar. Não tem nenhuma relação com a Astrologia praticada ocidental ou védica. É provável que a Astrologia praticada pelos celtas, pelos povos dos Andes e talvez até pelos maias seja semelhante, variando apenas os animais atribuídos aos meses/signos. Por serem soli-lunares, não se utilizam dos outros planetas.

Abraão é considerado o pai da Cabala. Mas era, antes de tudo, astrólogo, como atestam certas passagens na Bíblia. A Cabala é uma tradição que remonta aos primórdios da civilização e tem a sua origem na Suméria. Explica desde a criação do Universo até acontecimentos e eventos mais cotidianos da existência humana, oferecendo um diagrama com soluções para os desafios que se apresentam pelo caminho. Tem em si uma espécie de sistema astrológico criptografado e que pode ser considerado a origem de outros sistemas. Dentre eles, podemos citar algumas correntes místicas e mágicas que empregam a Alquimia interior.alexandria

O neo-platonismo exerceu forte influência no pensamento dos ocultistas e místicos principalmente a partir do século VI e é o veio comum que une a Astrologia Tradicional à Cabala, embora com propósitos aparentemente diferentes. No entanto, os símbolos e a linguagem astrológica encontrados na Cabala são semelhantes àqueles encontrados na Alquimia, codificados pelos sábios da Escola de Alexandria nos primeiros séculos da Era Comum. O neo-platonismo e a visão aristotélica de mundo que nortearam a Astrologia Ocidental, seja ela em sua corrente muçulmana como na corrente helenista. Enquanto que a primeira se ocupava da precisão e voltada para os acontecimentos astronômicos, a segunda se ocupava da harmonia e da beleza que o movimento dos céus proporcionava. Durante os séculos seguintes, a Astrologia que se desenvolveu na Europa, tentou conciliar estas duas formas de lidar não apenas com a Astrologia, mas principalmente com os eventos da vida. Embora não divergentes, cada uma tem um propósito próprio.

Esta grande revisão dos manuscritos árabes e gregos na Idade Média deu origem ao período clássico da Astrologia. É também o período clássico da Cabala. Diversas linhas de correntes iniciáticas também surgem nesta época, como resultado do saber trazido pelo povo árabe (incluindo-se o povo judeu). A Alquimia e a Magia tiveram forte desenvolvimento nesta época, sempre com o uso da simbologia astrológica. Uma vez que ambas correntes serviam tanto para a transformação interior como para a exterior, foram, juntamente com a Astrologia e a Cabala, estudadas com afinco nos monastérios.

A Astrologia Hermética é um ramo importante da Astrologia e tem a sua codificação neste período graças aos escritos atribuídos a Hermes Trimegisto. Liga-se diretamente à Cabala e acredito que sua tradição ocorreu paralelamente a esta, se não, em seu próprio interior.

O Iluminismo trouxe o desenvolvimento do pensamento humano e das ciências. E, com ela, o livre-arbítrio. Ptolomeu, no século I ec, já escrevera a respeito introdução do Tetrabiblos, portanto, não era um assunto novo. A novidade do século XVII foi dissociar o divino da humanidade. A Astrologia e as outras Artes entraram em declínio, passando a ser estudadas de forma velada ou em segredo. Exteriormente, perderam a sua identidade.

Na virada do século XIX para o século XX surgem várias Ordens Iniciáticas e Escolas de Mistérios, busca do reviver os “segredos” do universo e da transformação pessoal através das Artes de outrora. É neste mesmo bojo que surge a Sociedade Teosófica. Seu propósito era ainda mais amplo, pois o cristianismo vivia uma crise de descrédito.

A Sociedade Teosófica, por meio de seus fundadores, reuniu aspectos da filosofia hindu à tradição ocidental. E foi ela que deu origem à Astrologia Cármica, numa adaptação ocidental à Astrologia Védica. No século XX, foi ela que atribuiu os significados aos astros após Saturno. E ao fazê-lo, sem qualquer vínculo com a Tradição, quebrou a Harmonia celeste tão preciosa aos astrólogos da Antiguidade.

A Astrologia Contemporânea surgiu então como uma combinação da Astrologia Tradicional e das atribuições teosóficas aos planetas após Saturno e que foram adaptados e readaptados a partir da década de 50 combinados ainda à Psicologia. Os métodos de interpretação da Astrologia Tradicional e da Contemporânea são diferentes, uma vez que seus objetivos também o são. Estas diferenças podem ser encontradas em mais detalhes neste artigo.

Qualquer Tradição, para ter valor, precisa ser viva, adaptando-se ao seu tempo e local. Contudo, uma das características de uma Tradição é que as suas verdades permanecem inalteradas ao longo dos séculos, mudando apenas a linguagem que a expressa. Por esta razão que qualquer Tradição é composta de princípios simples e muitas vezes, excessivamente óbvios. Qualquer mudança ao corpo das verdades da Tradição revela falta de conexão com a essência (Espírito) que anima esta Tradição e portanto, deixa de ser tradicional e dá origem a algo novo que não é mais tradicional.

Embora a Tradição permanecesse viva nas Escolas de Mistério, a Astrologia Clássica se caracteriza pelas adaptações dos manuscritos gregos e árabes, revendo conceitos que não entendiam e, muitas vezes, até reformulando-os.

Por outro lado, a Astrologia Contemporânea realiza uma ponte com a Psicologia, adaptando este estudo à linguagem astrológica que chegava no início do século XX com a intervenção da Sociedade Teosófica.

Assim, podemos concluir que apenas a Astrologia baseada na Tradição pode se conciliar com as outras Artes. Como as diversas correntes astrológicas derivam de saberes variados, conceitos filosóficos e culturais muitas vezes antagônicos, não é possível reunir as correntes astrológicas sem descaracterizá-las.

Notas:

Anúncios

, , , , , , , , , ,

3 comentários

O Velho no Pântano

Acabou a brincadeira. Com o ingresso de Saturno no signo de Escorpião, chegou a hora de levar a vida e principalmente os problemas de um modo mais maduro, consistente e seguro. Em outras palavras, não dá mais para varrer a sujeira para debaixo do tapete.

Saturno é um astro frio e seco, ou seja, contrai, atrapalha, cria dificuldades, atrasos e obstáculos para tornar a sua, a minha e a nossa vida mais difíceis. Sua natureza tende ao isolamento e à melancolia, com uma nota malévola. Já Escorpião, é um signo feminino, fixo, frio e úmido, que igualmente se contrai, embora forme laços. A natureza deste signo é atrair, reter e contrair. Governado por Marte, Saturno sente-se parcialmente confortável neste signo em razão do frio que compartilham.

O simples fato de Marte e Saturno serem maléficos não assegura que sejam amistosos entre si. Ambos tem diferenças que caracterizam as suas atuações de maneira autônoma.

A imagem que melhor descreve o trânsito de Saturno em Escorpião é a de um velho andando num pântano, lentamente e com dificuldade.

O papel de Saturno é construir a partir das estruturas e, para isso, ele costuma destruir o que já perdeu o seu valor. Este astro governa a morte e tudo o que estiver a ela relacionada (esqueleto, restos mortais, cinzas, cemitérios, memoriais, epitáfio).

Já Escorpião, é o signo da verdade nua e crua a qualquer preço. Portanto, associado a todos os tipos de investigações que revolvem todas as possibilidades.

Assim, Saturno em Escorpião tem uma natureza fertilizante na medida em que revolve a terra para uma semeadura futura. Porém, neste processo, muita podridão acabará ficando exposta à superfície.

Se o Sol representa o presidente, Saturno é o juiz que estabelece os seus limites bem como, as regras da sociedade. Consciente de sua própria fraqueza, o Escorpião age a partir das sombras, com discrição e pronto para atacar (ou se defender) com o seu veneno na cauda. Há uma confrontação de poderes, uma vez que Saturno representa um poder visível, estabelecido, natural; enquanto que o poder exercido pelo veneno do Escorpião é sub-reptício e muitas vezes traiçoeiro.

Portanto, é hora de uma limpeza profunda em sua vida, de remover o lixo que se encontra escondido sob a geladeira ou atrás dos armários. Terá de encarar os ressentimentos de seu passado de tal modo a abandoná-los definitivamente para não sucumbir aos remorsos que virão, caso os deixe onde estão.

Trata-se ainda de uma limpeza ética, onde os valores da sociedade serão limados e retificados através da aplicação da Lei. Contudo, há o risco dos excessos próprios da natureza deste signo sem meias medidas. Este não é um astro de conflitos ou guerras, mas de suas causas, na medida em que tenderá a destacar o que há de verdadeiro ou real tanto na economia como nos aspectos sociais. A tendência é de um maior controle do Estado através das Agências Reguladoras.

O Ingresso de Saturno em Escorpião se dá em 05/10/2012.

1ª retrogradação: 18/02 a 08/07/2013 (1ª Estação em 15/10/2013), nos termos de Júpiter.

Tempo de pragmatismo e de fazer o dever de casa retomando modelos já conhecidos. Esta configuração lida claramente com questões de economia. Se ainda não colocou as suas contas em ordem, negocie com os seus credores. Você notará que as instituições financeiras estarão mais interessadas em receber do que você em pagar. Há uma forte tendência ao regionalismo econômico e ao protecionismo em geral. Os marcos regulatórios da economia são ajustados para a realidade de um cenário pessimista.

Trígono com Júpiter retrógrado: 12/2013.

O Natal não será tão próspero quanto foi em outros anos. Porém, as instituições financeiras se mostram fortes o bastante para sustentar uma tempestade de pessimismo vinda de vários setores da sociedade. Há uma aposta de que as dificuldades são temporárias e passageiras. Boas oportunidades para o empreendedorismo e os negócios familiares.

2ª retrogradação: 02/03 a 20/07/2014 (1ª Estação em 28/10/2014), nos termos de Vênus e Júpiter.

Com pouco dinheiro circulando, o Estado intervirá na economia para que torne a entrar nos trilhos. O comércio, em escala mundial não consegue gerar os recursos necessários para movimentar a indústria. É o setor público que sustenta a economia neste período. Como já ocorreu em tempos de crise anteriores, os metais, gemas e pedras preciosas que funcionarão como base de valores e moeda.

Conjunção de Marte: 26/08/2014.

É pouco provável que ocorra algum evento em particular ou bombástico, porém, em torno desta data, as medidas reguladoras instituídas pelo Estado em períodos anteriores começam a surtir os efeitos desejados. Embora ainda não haja motivo para comemorar, as expectativas de uma retomada do crescimento são mais palpáveis.

O ingresso em Sagitário se dá em 23/12/2014, com um outro ambiente econômico e financeiro.

Lembre-se que Saturno sempre mostra o seu valor e importância ao longo do tempo. Entretanto, as ocasiões mais significativas em que transita o signo de Escorpião, este astro obtém a colaboração benéfica de Júpiter, resultando em boas expectativas depois de um certo tempo de crises e dificuldades.

, , , , , , , , , , , ,

8 comentários

As crises de 1929 e 2011

Urano é o planeta da novidade transcendente e inesperada. Normalmente, seus trânsitos sugerem mudanças sociais de profundo impacto. Tenho associado os seus ciclos de 84 anos às questões econômicas que afetam a todos nós, embora ocorram numa escala bem maior.

Em 1928 Urano ingressou em Áries. No ano seguinte, ocorreu a Grande Depressão Econômica, que apenas se encerrou por ocasião da II Guerra Mundial. Estamos vivendo uma época semelhante graças aos problemas enfrentados na zona do Euro, combatidos com soluções paliativas. Não há indícios de uma nova guerra no horizonte, a época é outra.

Mas encontramos configurações semelhantes àquelas da época da queda da Bolsa de Nova Iorque. Os problemas se iniciaram na época em que da conjunção entre Júpiter e Urano, no início de 1928, embora oficialmente se indique o início da crise em 24/10/1929, com Júpiter retrógrado aos 16º de Gêmeos e Saturno nos últimos graus de Sagitário. Embora associado à diminuição da produção industrial, que resultou em desemprego generalizado (primeiramente nos EUA), há uma questão de inconsistência do modelo econômico vigente. Houve uma desvalorização generalizada da moeda em todo o mundo. Foi graças à intervenção do Estado que o Capitalismo encontrou sobrevivência.Na Europa, alguns países buscaram soluções alternativas para seus problemas internos e, no período que antecedeu à II Guerra Mundial, a Alemanha mantinha um comércio muito ativo com os países que hoje poderíamos chamar de emergentes. Também investiu em infraestrutura. Dessa forma, resolveu o problema do desemprego e da carestia de alimentos. Por pouco o marco alemão não se tornou a moeda de referência para o câmbio, em lugar da libra esterlina.

É bom lembrar do passado para estabelecer analogias com o presente. A Alemanha, juntamente com a França, lidera os aspectos econômicos da manutenção da moeda europeia, diante do dólar americano desvalorizado. Nos EUA, há forte desemprego, embora no momento, esteja razoavelmente sob controle. É Saturno quem dá uma condição astrológica diferente àquela que antecedeu a II Guerra Mundial, uma vez que se encontra nos graus finais de Libra.

A globalização, enquanto modelo econômico, trouxe grande mobilidade para os capitais, que migram fácil e rapidamente de um país (ou mercado) para outro, reduzindo o papel do Estado. No entanto na hora da crise, foi justamente que interveio para evitar maiores quebras, especialmente de bancos e indústrias e, de algum modo, preservar os empregos regionais. Atualmente, uma das maiores críticas ao capitalismo é a necessidade de produção contínua e incessante. Porém, este modelo econômico gera ainda uma distribuição desigual de renda (e consequentemente, de poder).

Pessoalmente, acredito que enquanto Urano se encontrar em Áries, assistiremos a várias fases de mudanças econômicas que culminarão ao final de 2016, com uma combinação astrológica muito particular: Urano em oposição a Júpiter (em Libra) e em trígono com Saturno (em Sagitário). Trata-se de uma configuração que sugere acordos importantes no âmbito mundial para ajustar os problemas econômicos que ora enfrentamos. Uma nova maneira de encarar todos os meios de produção estará em curso e talvez, o novo modelo econômico que emergirá nesta ocasião conseguirá conciliar as necessidades sociais ao mesmo tempo que combate as desigualdades. Gosto de lembrar que uma má distribuição de renda tira fatias importantes do mercado de consumo. Até lá, teremos de conviver com iniciativas individuais ou de nações isoladas preservando os seus próprios mercados, sem perceber que na medida em que o fazem, não resolvem nenhum problema, apenas adiam uma catástrofe maior.

Em 2017, é muito provável que o dinheiro seja encarado de uma outra maneira, se ainda existir.

, , , , , ,

Deixe um comentário

O que esperar em 2012

2012 promete ser um ano bem interessante. As configurações astrológicas se combinam de tal modo que é possível contar com várias oportunidades para melhorar aspectos importantes da vida de cada um e proporcionar bem estar e felicidade em primeiro lugar. Entretanto, daí a afirmar que será um ano de mudanças, depende realmente de cada um, como vem sendo afirmado em diversos locais. No entanto, as cartas estarão abertas sobre a mesa desde o princípio do ano.

Começarei tratando de Júpiter, o astro da expansão e do progresso. Encontra-se direto em Touro desde 25/12/2011 e ficará neste signo até 11/06/2012, quando ingressará em Gêmeos. Em 04/10/2012, ficará retrógrado, voltando ao movimento direto apenas no ano seguinte.

Em janeiro, a mútua recepção com Vênus favorece o bem estar, a alegria e a diversão, com forte tendência a excessos nos prazeres em geral (especialmente alimentação e bebida). Tradicionalmente, não é uma época de grandes atividades. Esta combinação favorece ainda o amor, a sensibilidade e a sensualidade em geral, bem como, uma maior tendência a dispersar o dinheiro.

Em torno de 14/03/2012, Vênus estará em conjunção com Júpiter e ambos, em trígono com Marte (retrógrado em Virgem), ao mesmo tempo que Mercúrio também se encontra retrógrado em Áries. Indicado para rever métodos de trabalho, rotinas diárias e pequenas responsabilidades. Aquisições de todos os tipos de vem ser avaliadas com cuidado e vagar, embora boas compras possam ser realizadas nestes dias. É recomendável cuidar dos próprios interesses antes de se preocupar com os dos outros ou delegar tarefas que lhe competem. Vale lembrar que neste mesmo período, Saturno se encontra em Libra, signo igualmente governado por Vênus. Com os dois astros sociais governados pelo astro do prazer imediato, é bom pensar em como consumir o que, ser mais eficiente tanto com o bolso como com as suas necessidades.

Em torno de 17/07/2012, Marte e Júpiter formam um trígono, este último agora em Gêmeos. Esta combinação é indicada para colocar as relações pessoais em andamento. Bom para as atividades em grupo, para o casamento, associações e parceiras de todos os tipos. Favorece os resultados e a objetividade em todos os tipos de combinações entre as pessoas, com uma comunicação ágil, inquieta, muitas vezes provocando atritos e divergências. Sugere a realizações de bons negócios, estimula o comércio em geral, em todos os níveis.

Saturno está em Libra e ficará retrógrado entre 07/02 até 25/06/2012. Ingressa em Escorpião em 06/10/2012. Enquanto estiver retrógrado, leva a impasses de todos os tipos entre pessoas em geral, apesar da necessidade que impõe da busca de acordos em geral. Nos relacionamentos, traz maturidade através da reflexão, em que cada parte cede um pouco de seu próprio espaço. Traz ainda respeito entre as pessoas que se enfrentam. Quando voltar ao movimento direto, tende a resolver estas questões de maneira definitiva, não exatamente pelo amo, mas pela necessidade de preservar posições (de status, prestígio, reputação).

A oposição entre Vênus e Saturno, no início de março, traz clareza a todos os impasses nos relacionamentos. Em seguida, ocorre a retrogradação de Mercúrio, enquanto Marte já se encontra retrógrado. Este é um mês importante para o que ocorrerá ao longo do ano, pois os ajustes serão acertados, discutidos, dialogados, mesmo que com dificuldades e todos os tipos de restrições, ao longo deste mês. Nos relacionamentos pessoais, isso implica em abrir mão de certos privilégios individuais para a manutenção da união ou parceria. Na esfera mundial, há negociações para redução de subsídios industriais.

Em 15/08/2012, a conjunção de Marte com Saturno impele ao movimento, mesmo que lento e gradual, em direção à maior participação e atividade em todas as esferas que envolvem pessoas. Seja no mundo dos negócios como na vida das pessoas, as parcerias se dão porque não há outra forma de atingir os resultados esperados. De fato, este é um ano para os relacionamentos, para as amizades e até, aprender a confiar no outro, particularmente com o ingresso de Saturno em Escorpião. A partir desta conjunção e depois, após o ingresso de Saturno em Escorpião, é possível que surjam as primeiras soluções para resolver as importantes questões da crise econômica, ainda assunto importante ao longo de todo o ano de 2012 ( e dos anos seguintes).

Urano se encontra em Áries, formando um sextil com Júpiter nos meses de junho e julho. Esta deve ser a ocasião em que devem ocorrer importantes fusões na indústria e talvez outros movimentos sociais do tipo “Occupy“, como vimos em 2011. Haverá uma certa efervescência neste período que pode trazer soluções interessantes para a crise econômica. E do ponto de vista das mudanças (sociais e pessoais), pode-se afirmar que elas nascerão nesta época. Com Júpiter em Touro até o início de junho, é difícil pensar em mudanças importantes, sejam sociais como econômicas. esta combinação também dispara (e reforça) a necessidade de tornar a educação prioritária, há uma disposição modernizante e, a partir de outubro, com Marte governando Saturno e Urano, de dar qualidade à educação por meio da investigação e da pesquisa.

Especialmente no mês de junho, Netuno forma uma quadratura com Júpiter, indicando um choque de realidade e a necessidade de avaliar todas as questões acima com uma visão ampla e soluções que levem em conta o conjunto das estruturas sociais envolvidas. Até as aspirações místicas e a religiosidade passarão por intervenções. Figuras religiosas importantes devem se pronunciar nesta época.

No Brasil, há as eleições municipais. Neste ano, a propaganda eleitoral deve ser mais superficial ainda. Nas metrópoles, é bastante provável que os assuntos discutidos sejam os meios de transporte, vias de tráfego e, em segundo plano, a segurança. Com Júpiter em Gêmeos e retrógrado por ocasião da eleição, não acredito numa maior responsabilidade e comprometimento por parte do eleitor. Questões secundárias decidirão o voto e não exatamente o mérito dos candidatos. A mídia é que de fato elegerá os prefeitos em suas cidades.

Individualmente, os temas do ano serão dinheiro e relacionamentos.

O primeiro semestre tende a ser bastante difícil para as finanças pessoais, especialmente para aqueles que atuam no segmento de serviços. Com Marte retrógrado em Virgem entre 23/01 até 08/04/2012 e depois, Vênus retrógrada em Gêmeos entre 15/05 a 27/06/2012, o único caminho possível é avaliar a melhor maneira de obter uma melhor eficiência, sem mudar o foco ou o ramo de atividades. E, num segundo momento, reforçar a base de clientes oferecendo serviços com melhor qualidade.

Quanto aos relacionamentos, seja de amizade como de amor, este é um ano para amadurecer. Aprenda a confiar em suas amizades e, no segundo semestre, forme novas amizades. Nos casamentos e uniões, crie novas oportunidades para manter acesa a chama do amor, conversando sobre tudo, seja sobre os problemas como também, das alegrias, mas olhando preferencialmente para o futuro imediato. O período em que Vênus estiver retrógrado é adequado para alinha interesses e deixar impasses e restrições mútuas para trás. No primeiro semestre, tente se colocar mais próximo(a) de quem ama participando ativamente da rotina e responsabilidades comuns.

2012 favorece especialmente os signos de Ar (Gêmeos, Libra e Aquário), tornando as suas vidas mais dinâmicas e ricas. Estes podem esperar mudanças reais notadamente a partir de junho. Em maio, ocorrerá um eclipse anular em Gêmeos (sobre o qual escreverei oportunamente), de Nodo Sul, agregando mais um estímulo a essas mudanças.

Os signos de Fogo (Áries, Leão e Sagitário) também serão estimulados ao longo do ano, especialmente Áries, onde se encontra Urano. Mas devem aprender a moderar o seu entusiasmo e ser menos individualistas. 2012 é um ano de participação e colaboração.

Os signos de Água (Câncer, Escorpião e Peixes) ver-se-ão diante de dilemas e as mudanças em suas vidas promovem um realinhamento de seus sonhos e sentimentos. No entanto, cada um destes signos experimentará as mudanças de maneira diferente: Câncer, de maneira dramática, tende a resistir; Escorpião, enfoca a confiabilidade, especialmente no final do ano, o tendão de Aquiles é o dinheiro; Peixes tem a oportunidade de tornar os seus sonhos ainda mais vivos a partir do sacrifício de seu tempo e disponibilidades. Há um eclipse total ocorrendo em Escorpião, reforçando a ação transformadora deste signo, em novembro.

Os signos de Terra (Touro, Virgem e Capricórnio) dependem das mudanças que ocorrem no âmbito social, não tem como interferir. Mas são os que se encontram mais suscetíveis às questões de emprego e trabalho. Em certa medida, serão os operários das mudanças econômicas em curso ao longo de 2012.

, , , , , , , , , , ,

1 Comentário

A Dança dos Luminares

Eclipses são indicadores de mudança. Eram sempre temidos pelos antigos.

Neste caso, não poderia ser diferente. Será visível apenas nas altas latitudes do Hemisfério Sul e, portanto, tem a sua ação e influência diminuídas também em razão da baixa altitude.

Imagem do Eclipse (Nasa Eclipse Web Site).

Pertence à Série de Saros nº 123, iniciada em 1074. Este período corresponde ao da Cisma da Igreja Católica e o início das Cruzadas. Porém, vale citar que a primeira universidade foi fundada em 1088. Sua implantação se deu sob a vigência deste primeiro eclipse da série.

O eclipse atual é o 53º de 70 e se encerra em 2318. Uma pesquisa nos eclipses anteriores desta série coloca os temas em religião e ambiente acadêmico em foco. Há uma ênfase (direta ou indireta) no Signo de Sagitário. O primeiro deles começa com Saturno ocupando este Signo.

Há uma diferença entre os eclipse que ocorrem nos Nodos Lunares Norte e Sul. Este ocorre no Nodo Norte e é considerado agregador e construtivo. Ou menos destrutivo. É Mercúrio retrógrado quem dá o tom deste eclipse em particular, chamando a atenção especialmente para o emprego da ética e os valores realmente tradicionais da humanidade.

Sugere o retorno a conceitos simples de educação e cultura, sem adereços ou enfeites. Impele à busca da lealdade e confiabilidade como valores básicos. Júpiter, regente de Sagitário, encontra-se igualmente retrógrado em Touro em mútua recepção com Vênus. Portanto, trata-se de uma ética dos sentidos, de pegar, tocar, cheirar.

Este eclipse fala de coisas simples, de valores e conceitos que já eram conhecidos por nossos pais e avós. Trata de um retorno às origens, em que negócios eram selados à base de um fio de bigode. Em meio a uma grave crise de consumo, em que os mercados encolhem e até Deus se tornou um negócio rendoso e próspero, é hora de lidar com os paradoxos que a sociedade contemporânea se encontra imersa.

As Cruzadas promoveram a devastação e a destruição por onde passaram. Hoje, é a necessidade de consumo que esgota com os recursos do planeta. Rios e lagos tem secado e desaparecido, drenados para irrigação de imensas áreas de plantio. O solo dos mares está coberto de lixo, óleo e plástico. Mineração e agricultura tem criado enormes modificações na morfologia do solo, criando áreas erodidas. Onde haviam florestas e morros, hoje só existem extensas planícies, várias delas, desertificadas em razão da exaustão do solo.

As diferenças religiosas ainda são causadores de guerras e desentendimentos entre Ocidente e Oriente. Porém, assistimos à mudanças importantes no Islã africano, que podem resultar em cismas ainda maiores, bem como, no avanço da pobreza e miséria onde a riqueza é pouca e para poucos.

Este eclipse aponta para o futuro da humanidade e apresenta soluções, dá pistas do caminho a seguir. Não promete nenhuma devastação, pois leva à reflexão (Júpiter e Mercúrio retrógrados), a busca da ética e dos costumes tradicionais. De tentar viver com mais simplicidade, antes que esta crise de recursos nos devore e ao planeta.

, , , , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Júpiter e o Carneiro

Hamal é a principal estrela da constelação de Áries. Encontra-se a 07º de Touro e declinação 23º S 17′, na testa do Carneiro.  A influência geral desta estrela se encontra associada à destruição, morte e todos os tipos de crimes. Os antigos diziam que quando Vênus cruza a região entre os chifres do carneiro, haveria guerra ou morte de reis.

Segundo Ptolomeu, é da natureza de Marte e Saturno e, por conseguinte, um grande indicador de más notícias.

Júpiter esteve na órbita de Hamal pela primeira vezes este ano entre os dias 11 e 19/07. Nestes dias, Marte estava em conjunção com Bellatrix, da constelação de Órion e da natureza de Marte e Mercúrio, numa combinação que favorece as atividades militares e inclina a acidentes.

Em meados de setembro, começou o movimento “Ocupe Wall Street”, um protesto contra as consequências da crise econômica. As manifestações se estenderam também à Europa, que enfrenta problemas semelhantes. Especialmente a Grécia, busca socorro financeiro.

Retrógrado, Júpiter entrou novamente na órbita de Hamal entre 10 e 18/10. Neste período, o banco Dexia, da Bélgica, se mostrou insolvente e será nacionalizado.

Voltará a estar na órbita desta estrela novamente entre 26/02 e 03/03/2012. Será que podemos esperar por boas notícias?

Sobre a crise financeira, há uma excelente Linha do Tempo aqui.

, , , , , , ,

Deixe um comentário