Archive for category Reintegração

A Magia e a Astrologia

A Astrologia Contemporânea perdeu um de seus mais poderosos instrumentos, aquele que propicia ao nativo se reintegrar à Unidade. Em parte, isto se deu pela má compreensão dos procedimentos empregados, mas também, em razão da perda de identidade a que foi submetida no início do século XX. Taxados como Magia, foram abandonados ou simplesmente, descartados como crendices e superstições. Nada tinham de religiosos, embora fossem auxiliares poderosos na direção da perfeição divina.

Se sozinha a Astrologia era considerada bobagem, aliada à Magia então, virou assunto proscrito. E com isso, este ramo da Astrologia se recolheu a uns poucos círculos de Iniciados e, mesmo assim, disfarçada por metáforas e mitos, temas que nunca fizeram parte da Astrologia Tradicional.

Foram os místicos árabes a partir do século V que codificaram o sistema de maneira coerente e compreensível para o Ocidente. Partem do principio de que somos impuros, indicando que o primeiro passo é a limpeza ou purificação. Depois seguem-se dois outros passos antes de se alcançar a consciência da unidade. Esta é a derradeira etapa antes da comunhão com os planos da divindade.

Mas há um porém. A partir do Iluminismo, a experiência divina ou religiosa foi colocada de lado, na mesma proporção em que o Homem assumiu uma posição central na Criação e no próprio Universo. A experiência mística se restringiu então aos círculos ocultistas ou iniciáticos, com fundamentos racionalistas cada vez melhor elaborados e estruturados. Estes resultaram nas Ordens onde o desenvolvimento ritual se tornou mais importantes que a vivência interior.

Surge então a pergunta: quem se lembra de Deus? Quem se preocupa com ele em pleno século XXI? Apesar de toda preocupação com o autoconhecimento, o que o nativo saberá fazer com isso? Para que servem as diversas informações coletadas se o próprio não inicia um processo de regeneração e reintegração?

Portanto, precisa haver uma finalidade, um objetivo grandioso que justifique uma grandiosa mudança de hábitos. O ponto de partida é sempre o Ascendente e a primeira “estação” é a Lua em seu mapa. E o primeiro “destino” é o Sol.
Não importa onde pretenda chegar com a magia resultante, estas são as etapas que terá de seguir necessariamente.

A Lua representa hábitos e condicionamentos, a sua zona de conforto, a casa dos pais. Mas a Lua é também a conexão com o astral, com o mundo espiritual. Não existe boa magia se não tiver visualizado e memorizado o que pretende e como pretende. A Lua é entrega a algo que você não vê, é estar no bom caminho sem ter a certeza de onde você chegará. Experimente avaliar este astro em seu mapa sob esta perspectiva. Há um longo trabalho pela frente.

Pasqually e Saint-Martin (dentre outros) são unânimes em afirmar a importância da regeneração e da purificação para um bom acesso aos planos espirituais mais elevados. Qualquer que for o processo mágico empregado, você terá de contar com o auxílio do Anjo Guardião (ou Mestre Interior) e este apenas estará disponível se esta etapa tiver sido concluída à contento. É comum que esta fase dure cerca de um ano… e então haverá mais duas fases antes de poder se dignar a pedir o auxílio do Anjo Guardião ou Mestre Interior.

magiaO diagrama ao lado ilustra as etapas a serem percorridas.

O mais elegante da Astrologia aliada à Magia é que ela pode ser individualizada a partir de seu mapa de nascimento, onde você encontrará ainda outras importantes dicas que podem lhe ajudar no caminho em busca à consciência da Unidade como também, as dificuldades e armadilhas no percurso.

E pode ainda escolher as melhores ocasiões para lidar com elas. A Astrologia Hermética é apenas um arremedo da verdadeira Magia Astrológica.

Anúncios

, , , ,

14 comentários