Archive for category Eclipses

Reflexões sobre a pandemia do Coronavírus

Ainda em outubro do ano passado, avaliava os impactos do eclipse ocorrido logo após o Natal, considerando seus efeitos sobre a economia. Nem de longe cogitei a possibilidade de estar relacionado a uma pandemia.

Saturno é praticamente o regente do eclipse, governando ainda Júpiter e Vênus (esta última, sem aspecto). Marte encontra-se domiciliado em Escorpião num sextil separativo com o regente do eclipse. O mapa do eclipse obtido para as coordenadas geográficas de seu ápice proporciona Ascendente em Áries, com Júpiter angular junto ao Meio-Céu. Ou seja, uma nítida conotação de retração econômica. A percepção de algum obstáculo à circulação da economia me era nítida, mas não conseguia alcançar a razão.

Marte fez conjunção com o grau do eclipse em 22/02/2020. Em tese, esta conjunção assinalaria o fim dos efeitos do eclipse. Porém, corresponde à chegada do vírus na Itália. Este foi o primeiro país fora da Ásia a decretar quarentena. Se as bolsas de valores já sofriam quedas repetidas pelo mundo afora, estas últimas notícias levaram praticamente à estagnação da circulação da economia. Não custa recordar que anteriormente várias empresas já haviam dispensado seus funcionário por falta do fornecimento de componentes (que vem da China, que fecharas suas fronteiras e praticamente parando as suas atividades econômicas).

Entretanto, o quebra-cabeça não estava solucionado para mim, apesar do mapa do eclipse estar absolutamente óbvio e coerente com o que sabemos desta “gripe”. Faltava encontrar um significado para estes acontecimentos representados pelo mapa do eclipse.  A Hanna Opitz fez falta, teria entrado em contato com ela e teríamos trocado figurinhas. Dentre os vários artigos que recebi pelos grupos do WhatsApp que faço parte, alguns remeteram a palestras proferidas por Rudolf Steiner (1861-1925) relacionando estas pandemias a acontecimentos ocorridos pouco antes à humanidade, deixando-a em estado de “baixa imunidade” e suscetível à ação do vírus. Lembrando que a função da doença é fazer com que o indivíduo pare, olhe para si mesmo e mude algum hábito ou comportamento para restabelecer a sua saúde. Steiner associou este modelo à humanidade. Bem… é o que estamos vivendo neste momento.

Para evitar a disseminação do contágio, várias atividades comuns da vida humana estão suspensas e a recomendação é que as pessoas permaneçam em casa com os seus familiares. Locais e atividades públicas estão suspensas. Nas grandes cidades, implica em encerrar as atividades dos shoppings centers, locais de comércio e lazer. Ou seja, não há circulação nem de pessoas ou de dinheiro. Por falta de componentes, várias indústrias já haviam interrompido as suas atividades. Ou seja, a movimentação da economia como nós a conhecemos foi suspensa por um vírus que sequer é visível a olho nu.

O ingresso do Sol em Áries traz a mesma ênfase de Saturno. Vênus, Astro que não está à disposição de Saturno, separa-se da Lua e aplica-se à conjunção partil entre Marte e Júpiter, em Capricórnio. Desta vez é Mercúrio que se encontra sem aspecto. O Ascendente deste mapa pode variar de acordo com a localidade para o qual for obtido. Este mapa tem várias implicações:

  • manutenção do status quo econômico a qualquer custo.
  • busca de saídas e alternativas para a produção de bens de consumo.
  • pesquisas para a solução da pandemia.
  • em alguns setores, a consciência da falência do atual modelo econômico.

Quando o mapa do Ingresso em Áries é aplicado ao Brasil, pode-se cogitar em algum ótimo resultado proveniente da área médica, como uma vacina ou tratamento mais eficaz vindo de um grupo de jovens pesquisadores universitários. Porém, o impacto em nossa economia será sentido até meados de setembro. Nosso país vive uma situação particularmente interessante na medida em que certas ações sociais servirão de exemplo para a elaboração de políticas públicas, aplicáveis inclusive em países europeus.

Considerando ainda o mapa de ingresso, esta pandemia se relaciona com o carma da população brasileira e contribui para sua mudança de comportamento.

De qualquer modo, a minha percepção é que estes mapas refletem, em conjunto e em perspectiva, o fim de ciclo econômico e uma mudança gradual da consciência da humanidade em relação a si mesma. Há aqui também o papel das mudanças climáticas causadas pela ação humana. Mas isto é assunto para a interpretação dos eventos relacionados à conjunção entre Júpiter e Saturno.

Conclusão:

A rapidez de contágio desta gripe foi capaz de interromper o fluxo do mercado, em vários níveis de seu funcionamento. As medidas de controle e combate da pandemia seguem modelos existentes há pelo menos um século (isolamento social), apesar da tecnologia existente. Esta interrupção causará reflexos na economia até meados de setembro, provocando ainda uma reavaliação dos parâmetros que a regulam.

Surtos de gripe ocorrem com frequência e devem acontecer novamente em breve. É sabido que independente de sua forma de contágio (contato ou ar), os imuno deprimidos são sempre as primeiras vítimas. A miséria e a fome são ainda os maiores males em nosso planeta.

1_fome_no_mundo-43665[1]

Nota: As palestras descritas acima, de Rudolf Steiner, podem ser encontradas no livro As Manifestações do Carma.

, , , , , ,

3 comentários

Olhar 2020/21

Diz que o Seu Zé, pescador antigo daquelas bandas, fitava o céu em busca de algum sinal naquela noite sem Lua. O mar era calmo, uma brisa suave soprava nordeste. O céu, veludo escuro pontilhado de estrelas, limpo e sem nuvens. Olhando para o alto, encontrou as Três Marias e, apertando os olhos, tentou vislumbrar a claridade da costa. Com seu barco parcialmente cheio, considerou melhor voltar para casa, tomar um banho e deitar-se junto de sua esposa.

Num grande centro urbano, Carlos Antônio digita a partir das informações que recebe pelo portal de negócios. Pega um de seus smartphones, liga para um cliente antes de tomar algumas decisões. Há algumas mensagens no outro smartphone, responde rapidamente uma ou outra e volta sua atenção para a tela do notebook. Novos índices sugerem novas oportunidades. Seu smartwatch avisa de uma reunião dois andares acima.

Enquanto isso, no FB, surgem várias postagens a respeito de um eclipse que, nenhum dos dois acima viu, sequer tomaram conhecimento. Há outras postagens sobre uma tal conjunção entre Júpiter e Saturno que, igualmente, nenhum dos dois faz ideia do que se trata.

Algumas digressões…

Embora não tenham consciência do que está acontecendo no céu, não estarão isentos de suas consequências gerais. Contudo, como se tratam de eventos de cunho social, não terão ação sobre as vidas pessoais do Seu Zé e do Carlos Antônio. Para eles, a vida segue…

A vida segue porque suas perspectivas, suas visões de futuro, estão em algum ponto adiante por no máximo um ano. Porém, os Eclipses contam uma estória que se desenrola por cerca de 17 séculos. As conjunções entre Júpiter e Saturno descrevem eventos econômicos e sociais que se estendem por cerca de 800 anos. É mais, muito mais do que Seu Zé e Carlos Antônio podem perceber ou alcançar com a sua consciência.

E como não estarão conscientes do fluxo dos acontecimentos, simplesmente serão levados pela torrente, sem conseguir interferir em suas consequências.

A verdade é que existem informações demais para serem acessadas pelos mais diversos meios e a mente humana está próxima de seu limite, tendo de recorrer à inteligência artificial para a solução de questões complexas que possam ser resolvidas por algoritmos. Alguns autores contemporâneos apontam que a humanidade se aproxima de sua inutilidade, na medida em que a individualidade se torna uma falácia, sob qualquer perspectiva (emocional, psicológica ou mesmo mental). É preciso abstrair para compreender o que está verdadeiramente acontecendo, deixar de lado as páginas dos portais de notícias.

Há um grande paradoxo em jogo, pois de um lado, uma das chaves é o desenvolvimento da consciência individual. Trata-se de um movimento entrópico com o objetivo de se defender da agressividade do meio exterior. Astrologicamente, é representada pelo Sol.

Por outro lado, a outra chave é a participação social, o senso comum, o envolvimento coletivo e humanitário, representado por Aquário (onde ocorre a conjunção entre Júpiter e Saturno).

A crise ética que assistimos nos últimos anos é reflexo dos paradoxos acima. Corrupção e a escalada da violência são as manifestações visíveis da falta de consciência individual e de participação social.

A Grande Conjunção Júpiter-Saturno

As conjunções entre Júpiter e Saturno ocorrem a cada 20 anos, com um avanço de 243° com relação ao anterior. Depois de 60 anos, a terceira conjunção ocorrerá com uma diferença de 9° com relação à primeira. Após 800 anos (40 conjunções), haverá uma diferença de apenas um grau em relação à primeira conjunção.

A próxima Grande Conjunção encerra um ciclo iniciado em 05/03/1226. Uma pesquisa nos acontecimentos da época indicam o avanço das tropas mongóis (que chegaram até a Hungria), o surgimento das feiras livres e das guildas de comércio e, as cruzadas (que abriram oportunidades comerciais através das rotas marítimas).

Atualmente, encontramos os produtos chineses em qualquer prateleira no mundo e vemos que o mercado tenta se reinventar desde a Grande Crise de 2008. Enquanto a China não consegue mais um crescimento de sua economia no patamar de dois dígitos, a economia (mercado) opera com juros cada vez menores e com princípios artificiais (criptomoedas, blockchains).

A Grande Conjunção do final de 2020, ocorrendo no início do Signo Astrológico de Aquário assinala o fim da “Lei de Mercado” como nós a conhecemos. Com o avanço da IA e dos algoritmos, haverá um número cada vez maior de desempregados (a Europa já está cheia deles há décadas!!!). Com menos indivíduos economicamente ativos contribuindo para o Estado por meio dos impostos menos dinheiro haverá na Economia. Juros baixos significa que o dinheiro (ou os créditos) tem menos valor. A redução do consumo é uma realidade e fortalece a distância entre os mais e os menos economicamente favorecidos. A solução da indústria vem sendo agregar valor através da tecnologia de ponta, acessível para poucos.

É esta bomba relógio que irá estourar a partir de 2021, representada pela Grande Conjunção. Num primeiro momento, a descrição acima, tomada do Homo Deus, de Yuval Harari e muito difícil de desmontar a partir do atual quadro político e econômico mundial. O retorno do nacionalismo é um aspecto dos mecanismos de defesa das economias dos países onde surgem, como é o caso do BREXIT.

Uma semana antes da Grande Conjunção há um Eclipse Solar total de Nodo Sul. Ocorrendo no Signo Astrológico de Sagitário, será efetivo por pouco mais de três anos. Será visível no Chile, na Argentina e parte do Brasil. Não me causará espanto se houver graves movimentos sociais nos primeiros dois países. No Brasil, acredito que o clima entre certos setores militares, o parlamento e o judiciário azedará de vez. A Europa lida com os milhões de imigrantes islâmicos, onde as políticas públicas não refletem a vontade da maioria da população, que vê a sua cultura sendo colocada de lado em favor do islamismo.

O sentido de humanidade que se espera tem, sob a perspectiva econômica, a questão do aquecimento global x sustentabilidade.  Para alimentar a crescente população, cada vez mais subempregada, é necessário produzir mais alimentos. A agricultura precisa de irrigação: sem água, não há colheita.

Battle-of-the-Doomed-Gods[1]

A minha expectativa para as primeiras três conjunções seguintes entre Júpiter e Saturno são o aumento da fome e da miséria no mundo, bem debaixo de nossos olhos. Onde há miséria há a exploração da miséria (favelização, marginalização social e crimes de todos os tipos, consumo e tráfico de entorpecentes, etc…). A saída é a solução do paradoxo apresentado anteriormente, uma vez que o desenvolvimento da consciência individual leva à percepção de uma consciência universal e torna a ética bem como, a contribuição e participação social uma necessidade.

Assim, este Eclipse Solar de dezembro de 2020 lida também com fechar os olhos e voltar-se para dentro de si mesmo em busca do atributo divino que o anima, do pó das estrelas que o originou. E então olhar para os demais humanos como uma grande coletividade que, para sobreviver, precisa aprender a colaborar uns com os outros. Uma total utopia…

Os maiores progressos da humanidade ao longo da História foram alcançados quando o Homem aprendeu a colaborar com os demais, desinteressadamente.

Talvez o Seu Zé consiga pescar melhor e Carlos Antônio trabalhe com menos ansiedade. E ambos consigam dedicar mais tempo às suas famílias e pessoas de suas comunidades.

, , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Eclipse Lunar (15/04/2014)

Os eclipses são fenômenos que sempre despertaram a curiosidade e o temor entre as pessoas.

Hoje em dia, entretanto, em que a maior parte delas sabe que o mundo não irá acabar, mal se dão conta da existência destes fenômenos no céu. Sem dúvida, são admiráveis e despertam reverência pelo sistema no qual estamos envolvidos. No caso de um eclipse lunar, é a Terra que projeta a sua sombra sobre a vizinha Lua.

Visualmente, tem-se a impressão de que a Lua está sendo engolida…

Astrologicamente, há certas regras que devem ser seguidas para interpretarmos os eclipses e, a primeira delas é que os eclipses lunares estão subordinados aos eclipses solares. Contudo, nenhum dos grandes autores é suficientemente claro como isso ocorre. Ptolomeu e Bonatti foram os mais claros a respeito “O Eclipse de 20/05/2012” eu incluo os aforismos relativos aos eclipses, de Cardan, quanto à duração de seus efeitos.

Uma das condições para a ocorrência de um eclipse é que esteja a uma certa distância (órbita) de um dos nodos lunares. Os eclipses de nodo norte costumam ser distribuidores enquanto que os de nodo sul são catalisadores e considerados prenunciadores de acontecimentos maléficos.

Seja num eclipse solar ou num lunar, quem indica por seus aspectos a natureza dos eventos esperados é a Lua.

O diagrama abaixo contém o gráfico astrológico do eclipse lunar para a data acima, calculado para as coordenadas geográficas de São Paulo. Incluí a árvore de domicílios para avaliar a disposição das forças planetárias e o encadeamento das disposições e regências.

eclipse lunar 1404

O último aspecto da Lua é com o Sol. Assim que sair da órbita da oposição, a Lua fica fora de curso. Um astro fora de curso não realiza nenhum evento porque não transmite luz a nenhum outro astro. A Lua é o astro mais importante, neste caso, porque além de ser a protagonista do eclipse (junto com o Sol), é a responsável por “mediar” a luz do Sol e, consequentemente, os eventos em nosso planeta. Diz-se que a Lua está associada ao cotidiano.

Ainda, Saturno, astro responsável por tudo o que cristaliza ou se realiza, encontra-se feral. Um astro feral nada faz, isolando-se em si mesmo. Alguns autores modernos sustentam que um astro feral funciona “para dentro”… Na prática, não realiza.

Uma das principais regras da Astrologia diz que astro sem aspecto é astro sem ação…

Portanto, este é um eclipse do qual não se pode esperar nenhuma ação, seja concreta ou interior. Mesmo sob a perspectiva espiritual, nada acontecerá de diferente ou especial. Porém, se a nebulosidade permitir, não deixe de acordar de madrugada para ver o alinhamento dos luminares, isto sim, sempre um espetáculo belíssimo.

, , ,

2 comentários

Haverá guerra ainda?

A Primavera Árabe se caracterizou por uma série de manifestações ocorridas no Oriente Médio e que, em alguns casos, resultaram na deposição de governos autoritários. Em certos momentos, o Ocidente participou direta ou indiretamente para tentar preservar a população civil de maiores massacres.

Os países envolvidos se caracterizam por facções tribais ou que pretendem a supremacia do islamismo. Nestes países, há uma forte componente teocrática o que tem provocado ainda mais sectarismo num caldeirão que há milênios ferve sem parar. Por fim, há ainda a questão da Jihad e da Al Qaeda, profundamente infiltrada entre a população rebelde.

As milícias armadas são o maior problema para uma intervenção militar em qualquer destes países pois, ao final das contas, não é possível saber onde irá parar o armamento ou se acabará incitando ainda mais instabilidade na região.

Porém, há três países de interesse estratégico sobre os quais pouco se tem falado. A Israel não interessa uma intervenção armada de qualquer natureza, uma vez que a Síria e o Irã são inimigos tradicionais desta pequena nação que, ao final das contas, acabará mesmo ficando por conta própria se o conflito se ampliar. A Síria é um país fortemente militarizado e, enquanto tem de cuidar de sua guerra civil, não irá provocar o Israel. E há a questão do Irã, uma nação teocrática com poderio nuclear. Se atacadas, Síria e Irã com certeza apontarão suas ogivas para Israel, com consequências imprevisíveis.

Ou seja, não é tão fácil assim para os EUA ou Rússia se aventurarem a uma intervenção. A diplomacia é mesmo o melhor caminho, a apesar do desrespeito às convenções internacionais dos quais estes países não são signatários.

Porém, ao analisar o mapa da Síria, o quadro que se tem é preocupante. Este conflito se iniciou por ocasião do Eclipse de 04/01/2011, que não foi visível em Damasco. A interpretação dos Eclipses segundo Bonatti e Ptolomeu indicam que a força deste Eclipse é até 11/2014. Contudo, não dá passa desapercebido o fato que Marte estará transitando o Ascendente (Natal) e Saturno (Eclipse) entre Janeiro e Junho de 2014, período que acredito ser o mais tenso quanto ao desenvolvimento do conflito na Síria.

Siria

O Eclipse de 05/2012 ocorreu formando conjunção com Alcyone, tradicionalmente uma estrela belicosa e em conjunção com Marte do mapa da Síria. É mais um indicador de conflito, porém, de natureza interna. Aponta para o esforço de minar as manifestações e a guerra civil, mas também de ações traiçoeiras de ambas as partes, seja do governo como dos rebeldes. Além da população, não há inocentes nesta estória.

Siria 2

O Eclipse de 11/2013 pode marcar o início da contenção das armas, especialmente as químicas, no regime do presidente Bashar al-Assad. Não há nenhuma indicação de riscos corridos por militares estrangeiros, seja da OTAN, da ONU ou de outras nações ocidentais. Não há interesse em depor o presidente Bashar al-Assad, uma vez que ele combate justamente os milicianos jihadistas e da Al Qaeda. E se for deposto, poderá ocorrer o mesmo caos existente na Líbia.

Conclusão: Apesar de todas as fortes indicações de tensão, não há força suficiente para uma intervenção militar, mesmo cirúrgica. O trânsito de Marte em Libra, na região do Ascendente, sugere a pressão, mas também, uma via diplomática tensa por meio de um linguajar aparentemente duro. A sequência dos Eclipses Solares sugere tensão popular sem solução imediata ou deposição do presidente Bashar al-Assad. É mais provável que se busque circunscrever a guerra civil a limites toleráveis pela opinião pública do Ocidente.

, , , , , ,

Deixe um comentário

O Eclipse de 20/05/2012

Os eclipses são os grandes marcadores de tempo, especialmente porque envolvem as duas Luzes do céu.

Os eclipses são ocultações de uma das Luzes pela outra. Assim, um eclipse solar ocorre quando a Lua se encontra entre a Terra e o Sol, por ocasião da Lua Nova. num eclipse lunar, é a Terra que se encontra entre as Luzes e faz sombra sobre a Lua, ocorrendo na Lua Cheia.  Os eclipses solares são mais importantes, uma vez que é o Sol que fica encoberto pela Lua.

Os eclipses ocorrem sempre numa distância de até 8,5º dos Nodos Lunares. Portanto, os eclipses que ocorrem junto ao Nodo Norte ou Cabeça do Dragão tem uma ação diferente daqueles que ocorrem junto ao Nodo Sul ou Cauda do Dragão.

Conforme a sua ocultação, os eclipses podem ser totais, parciais ou anulares. Segundo Ptolomeu e Bonatti, os eclipses são mais importantes nas regiões em que são visíveis e a duração de seus efeitos é proporcional ao tempo de ocultação:

De Tetrabiblos, Livro II, capítulo 6: DA DATA DOS ACONTECIMENTOS PREDITOS
O segundo e cronológico título, pelo qual devemos descobrir as datas dos acontecimentos significados e a sua duração, será considerado como se segue. Na medida em que os eclipses que têm lugar na mesma data mas não duram o mesmo numero de horas ordinárias em todas as localidades, e como os mesmos eclipses solares não têm em todos os lugares o mesmo grau de obscurecimento, ou o mesmo tempo de duração, determinaremos primeiro a hora do eclipse, em cada uma das localidades mencionadas e, para a altitude do polo, centros, tal como numa natividade; em segundo lugar, quantas horas equinociais dura obscurecimento do eclipse em cada uma.
Pois, quando se examinam estes dados, se for um eclipse solar, compreendemos que o acontecimento predito durará tantos anos quantas as horas equinociais que determinarmos e, se for um eclipse lunar, tantos meses.
 
Sete Segmentos de Cardan, aforismos relativos aos eclipses:
11. Um eclipse da Lua prolonga os seus efeitos pelo mesmo número de meses que a sua duração em horas, e o do Sol pelo mesmo número de anos.
12. Um eclipse tem um efeito triplo, primeiro poderoso devido à conjunção ou oposição durante a qual acontece; segundo geral, porque arrefece lentamente e, por isso, se prolonga por muito tempo. Terceiro o poder que recebe do regente do lugar em que acontece e de outras posições desse momento.

Características

O eclipse de 20/05/2012 ocorre em 00º 20′ de Gêmeos, em conjunção com a estrela Alcyone. Em seu máximo, o Sol alcançará uma altura de 60º, considerada forte. O tempo de contato dos Luminares é de cerca de 3,55 horas, perfazendo uma ação de 3 anos e 7 meses a partir desta data. Seu efeito é catabólico, ou seja, de liberar energia (os antigos diriam que tem um poder destrutivo, particularmente pelo Signo Zodiacal em que ocorre).

Os eclipses são agrupados em séries, de acordo com a sua geometria (ângulo de incidência em relação à Terra). Este eclipse pertence à Série de Saros 128, iniciada em 29/08/984 e que se encerra em 22/11/2282, ou seja, depois de 1298 anos.

Este eclipse estará visível numa larga região da Ásia, como indicado na imagem obtida do site de Fred Espenak. Nele, há todas as informações necessárias à avaliação do eclipse, antes de sua interpretação astrológica.

Algumas idéias

Pesquisando os eventos associados aos mais recentes eclipses da Série de Saros 128, nota-se que há uma pequena ênfase na busca da paz e da conciliação, bem como, uma tendência ao desenvolvimento artístico, com o surgimento de movimentos culturais ou novas escolas de pensamento. O fato de ocorrer no Nodo Sul indica uma disseminação de ideias que levam na direção do entendimento e da concórdia.

Acima, o mapa do eclipse, obtido para o local e hora de máxima ocultação. Note que Júpiter e Mercúrio (regente do Asc e do Eclipse) se encontram no Meio-Céu, reforçando a noção de diálogo entre nações estrangeiras. Ainda, a oposição entre Marte e Netuno é um convite para buscar soluções para os conflitos de longa data (brigas intestinas). Estes últimos astros formam um T-Square com os Luminares.

Com a estrela Alcyone associada ao Sol e à Lua e, especialmente se culminando, representa as principais autoridades militares de um país ou nação.  Alcyone faz parte das Pleiades, na constelação de Touro e, de um modo geral, não é um bom presságio. Alcyone é a mais brilhante dentre elas e é associada honra e glória, se em boas condições.

Entretanto, gostaria de ir mais além. Este é um eclipse antigo dentro da Série de Saros. Embora astrologicamente não existam muitas indicações de associação com os militares, algumas invasões recentes começaram logo após eclipses desta série, para ao final, chegar-se a acordos de paz complexos e, inicialmente, considerados absolutamente improváveis.

Teremos mais alguns anos de eclipses ocorrendo no eixo Gêmeos e Sagitário, tradicionalmente ligado á informação, mas também, aos ventos da mudança. Este eclipse percorre uma região que recentemente vem sendo assolada por catástrofes naturais (terremotos e tsunamis) e forçando seus moradores e deixarem para trás divergências sociais, culturais ou religiosas em razão do enorme número de perdas humanas. E, por isso mesmo, encaminhando-as ao exercício da solidariedade. Este diálogo pode ser claramente notado na configuração da oposição entre Marte e Netuno quadrando ao Eclipse.

Há também a ideia de perda de colheitas em razão da estiagem ou falta de chuvas nas regiões de visibilidade do eclipse. Esta configuração sugere seca e sementes que não vingam ou ainda, são comidas pelas aves. Num dos mitos associados às Pleiades, como constelação de Inverno (Hemisfério Norte), são associadas à agricultura.

Mas para quem gosta e curte as questões associadas às possibilidades de elevação da consciência que se abrem a partir de um eclipse, este trata de buscar o conhecimento dentro de si e não fora, antes de ir ao encontro dos mistérios divinos ou do Universo. Gêmeos é o signo das colunas do Templo de Salomão. Júpiter e Mercúrio, em Touro, preconizam a sobrevivência ou a manutenção de valores morais, éticos ou filosóficos simples e práticos, ligados ao cotidiano ou à própria Natureza, antes que a Terra se aqueça acima de suas próprias possibilidades e as marés se elevem (Marte em oposição a Netuno, Virgem/Peixes).

Entretanto, prefiro ver de que há um trabalho a ser feito antes de se alcançar o conhecimento dos céus. E este trabalho passa pelo aperfeiçoamento pessoal e pela responsabilidade que temos uns com os outros enquanto seres deste planeta. Responsabilidade esta que inclui todos os seres vivos, animais, plantas e tudo o que forma esta jóia do Sistema Solar que conhecemos como planeta Terra.

 

, , , , , , , , , , , , , ,

6 comentários

A Dança dos Luminares

Eclipses são indicadores de mudança. Eram sempre temidos pelos antigos.

Neste caso, não poderia ser diferente. Será visível apenas nas altas latitudes do Hemisfério Sul e, portanto, tem a sua ação e influência diminuídas também em razão da baixa altitude.

Imagem do Eclipse (Nasa Eclipse Web Site).

Pertence à Série de Saros nº 123, iniciada em 1074. Este período corresponde ao da Cisma da Igreja Católica e o início das Cruzadas. Porém, vale citar que a primeira universidade foi fundada em 1088. Sua implantação se deu sob a vigência deste primeiro eclipse da série.

O eclipse atual é o 53º de 70 e se encerra em 2318. Uma pesquisa nos eclipses anteriores desta série coloca os temas em religião e ambiente acadêmico em foco. Há uma ênfase (direta ou indireta) no Signo de Sagitário. O primeiro deles começa com Saturno ocupando este Signo.

Há uma diferença entre os eclipse que ocorrem nos Nodos Lunares Norte e Sul. Este ocorre no Nodo Norte e é considerado agregador e construtivo. Ou menos destrutivo. É Mercúrio retrógrado quem dá o tom deste eclipse em particular, chamando a atenção especialmente para o emprego da ética e os valores realmente tradicionais da humanidade.

Sugere o retorno a conceitos simples de educação e cultura, sem adereços ou enfeites. Impele à busca da lealdade e confiabilidade como valores básicos. Júpiter, regente de Sagitário, encontra-se igualmente retrógrado em Touro em mútua recepção com Vênus. Portanto, trata-se de uma ética dos sentidos, de pegar, tocar, cheirar.

Este eclipse fala de coisas simples, de valores e conceitos que já eram conhecidos por nossos pais e avós. Trata de um retorno às origens, em que negócios eram selados à base de um fio de bigode. Em meio a uma grave crise de consumo, em que os mercados encolhem e até Deus se tornou um negócio rendoso e próspero, é hora de lidar com os paradoxos que a sociedade contemporânea se encontra imersa.

As Cruzadas promoveram a devastação e a destruição por onde passaram. Hoje, é a necessidade de consumo que esgota com os recursos do planeta. Rios e lagos tem secado e desaparecido, drenados para irrigação de imensas áreas de plantio. O solo dos mares está coberto de lixo, óleo e plástico. Mineração e agricultura tem criado enormes modificações na morfologia do solo, criando áreas erodidas. Onde haviam florestas e morros, hoje só existem extensas planícies, várias delas, desertificadas em razão da exaustão do solo.

As diferenças religiosas ainda são causadores de guerras e desentendimentos entre Ocidente e Oriente. Porém, assistimos à mudanças importantes no Islã africano, que podem resultar em cismas ainda maiores, bem como, no avanço da pobreza e miséria onde a riqueza é pouca e para poucos.

Este eclipse aponta para o futuro da humanidade e apresenta soluções, dá pistas do caminho a seguir. Não promete nenhuma devastação, pois leva à reflexão (Júpiter e Mercúrio retrógrados), a busca da ética e dos costumes tradicionais. De tentar viver com mais simplicidade, antes que esta crise de recursos nos devore e ao planeta.

, , , , , , , , , , , ,

Deixe um comentário