O caso das Progressões Secundárias

As Progressões Secundárias são aquelas decorrentes do movimento da Terra em torno do Sol a partir de um determinado fator de progressão. Portanto, os astros se movem no Zodíaco.

As Direções Secundárias são um subconjunto das Progressões Secundárias e correspondem à data em que um determinado aspecto (astro progredido => astro natal) atingiu a perfeição, à medida que progride.

Assim, podemos dizer que as Progressões correspondem a um mapa, geralmente obtido para a data do aniversário, cujo propósito é indicar o cenário experimentado pelo nativo. Já as Direções apontam as datas dos acontecimentos da vida do referido nativo.
Os fatores de progressão podem ser agrupados em dois grupos:

tabela 1A maior parte dos softwares de Astrologia denominam os métodos acima de Direções.

Placidus popularizou um outro método, bastante empregado nos dias de hoje, em que a idade é convertida em dias. Assim, para saber encontrar a Progressão Secundária do nativo aos 30 anos de idade, basta somar 30 dias à data de nascimento para obter a posição progredida dos astros. O Meio-Céu é obtido a partir de um dos fatores dinâmicos acima indicados, a partir do qual se obtém o Tempo Sideral Local da progressão e a partir dele, as Casas Astrológicas progredidas. Este método é descrito por Ptolomeu, em Tetrabiblos, embora de uma maneira confusa e combina um antigo sistema de Direções Primárias com as Progressões Secundárias.

Este é o sistema de Progressões Secundárias adotado em softwares como Solar Fire e Janus, por exemplo.

Há duas implicações importantes a destacar:

  1. Enquanto os astros se movimentam a partir de suas verdadeiras velocidades, as Casas progridem a partir de um fator associado ao Sol (Arco Solar).
  2. Por este método, as cúspides das Casas Astrológicas terão uma progressão anual sempre próxima a um grau de arco.

Ou seja, há dois pesos e duas medidas para obter as posições dos astros e casas progredidas.

Porém, não foi desta forma que aprendi a calcular um mapa progredido. Aprendi com o professor Celso Schmidt que para obter uma progressão secundária aos 30 anos de idade, deveria recalcular todo o mapa (inclusive Tempo Sideral Local) com os dados obtidos nas efemérides 30 dias após o nascimento. Para quem não se recorda, Tempo Sideral Local é um dos argumentos de entrada para obter a posição do Meio-Céu, Ascendente e demais cúspides.

Hoje em dia, este método está sendo denominado de Progressões Secundárias Verdadeiras, para distinguir do método de Placidus.
Além das posições do Meio-Céu, Ascendente e demais cúspides serem diferentes em relação a todos os métodos acima apresentados, há uma outra implicação importante que geralmente passa desapercebida: em um ano, o Meio-Céu progride cerca de 361°, dando uma volta inteira no Zodíaco e avançando mais um grau.

A tabela abaixo ilustra em mais detalhes o exposto:

tabela 2

No comparativo abaixo, encontram-se destacadas as posições do Meio-Céu e Ascendente nos métodos do Arco Solar, Placidus e Progressão Verdadeira:

mapa 1

 

Anúncios

, , ,

  1. #1 by Webert Ribeiro on 7 de Julho de 2014 - 8:54

    Muito esclarecedor, obrigado.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: