Mudança de comando: Dilma – Temer

Como já foi observado, após a posse de Michel Temer como presidente interino, não houve mudanças perceptíveis no cotidiano das pessoas comuns. É o que está ilustrado abaixo.

dilma_temer

O mapa interno é o do Brasil; o exterior, os trânsitos atuais representando os problemas atravessados pelo país. O mapa intermediário representa a presidente afastada Dilma Rousseff  e o presidente interino Michel Temer (à esquerda e á direita, respectivamente.

É como se um navio (Brasil) tivesse trocado de comandante (presidente) em meio a uma forte tempestade: a tempestade enfrentada por ambos a partir do mesmo navio será a mesma, o que muda é a gestão de um e de outro perante a crise (tempestade).

Cumpre ressaltar que paira incerteza quanto ao horário correto do nascimento de Dilma Rousseff. Porém, não há dúvidas de que o Marte de seu mapa se encontra no Descendente do mapa do Brasil e representa toda a animosidade que conquistou recentemente.

Em contrapartida, Michel Temer tem Marte transitando igualmente em Virgem, formando conjunção com Mercúrio do mapa do Brasil, indicando que, além de não ser consenso, também se verá diante de reações contrárias em razão de medidas impopulares que serão tomadas (algumas já o foram).

Contudo, especialmente a Lua de Michel Temer (em conjunção com o Meio-Céu) sugere um voto de confiança de parte da população, que confiará “desconfiando”.

Michel Temer é citado no processo de impedimento que tramita no TSE, o que está representado pelo trânsito de Júpiter que, brevemente, formará conjunção com Marte e o Sol de seu mapa.

Tomando-se os dois mapas (Dilma e Michel), vale ressaltar os pontos abaixo:

  • Dilma: Conjunção Saturno-Júpiter e quadratura Júpiter-Júpiter, apontam as dificuldades que resultaram em seu impedimento.
  • Michel: Sextil Marte-Sol, desafiador, indicando a colaboração de “amigos” para a solução dos problemas enfrentados pelo país. Terá um período crítico ao final de agosto, estendendo-se aos primeiros dias de setembro, época em que deve lançar as principais medidas de ajuste fiscal. O cenário jurídico no qual se encontra inserido (incluindo-se o julgamento de Dilma Youssef no Senado) deve estar encaminhado nesta época. Agosto é o mês a ser superado.

Na verdade, o que realmente muda é a gestão da crise-tempestade, como apontado acima. E neste sentido, contrastam o modo centralizador de Dilma com a política conciliadora de Michel. Portanto, o presidente interino tem procurado se cercar de pessoas com as quais possa contar, em suas respectivas áreas, uma vez ele já declarou que não há margem para tentativas ou erros.

Eu já havia apontado em artigo anterior que o caminho para a solução da crise econômica passa pelo entendimento entre a indústria e os bancos, entre quem produz capital e quem o movimenta. Este desenho se torna mais claro com a participação de Michel Temer do que com Dilma Rousseff em razão do perfil pessoal de cada um.

Resta a pergunta: será bem sucedido? A minha resposta é sim, evitando o colapso, mas não participando da recuperação; embora os resultados sensíveis serão notados apenas a partir de 2017.

E se Dilma estivesse na presidência? Ela não tem o perfil necessário (conciliador) para se cercar de pessoas que efetivamente colaborem na gestão dos problemas.

Resta ainda uma questão, sobre a investigação conduzida pelo juiz Sérgio Moro, conhecida como Operação Lava Jato: astrologicamente, ela não será interrompida e fatalmente alcançará outros nomes importantes antes de ser considerada concluída. Acredito que a reta final desta investigação ocorrerá a partir de Março de 2018.

, , ,

2 Comentários

O hábil Michel Temer

Com a recomendação da Comissão do Senado de seguir com o processo de impedimento da Presidente Dilma, parece realmente óbvio que o vice-presidente Michel Temer venha a assumir a Presidência do país em breve.

Antes de escrever estas linhas, li sua biografia na Wikipedia. Visivelmente, trata-se de um político hábil e ambíguo. Da biografia acima, destaco uma passagem que reflete com clareza o problema que sempre representou para Dilma Roussef:

Ao chamar a atenção para um potencial problema da união PT-PMDB em um futuro governo, o historiador Luiz Felipe de Alencastro disse: “Uma presidenciável desprovida de voo próprio na esfera nacional, sem nunca ter tido um voto na vida, estará coligada a um vice que maneja todas as alavancas do Congresso e da máquina partidária peemedebista.”

O atual momento político vivido pelo país desde o início de dezembro de 2015 reflete a frase acima e o poder de articulação do vice-presidente, a liderança que exerce sobre o PMDB, seus amigos de vários anos, bem como, suas alianças.

O diagrama abaixo contém o mapa astrológico de Michel Temer ao redor do mapa astrológico do Brasil. As diversas e importantes conjunções entre os dois temas apontam indiscutivelmente a relação existente entre os rumos e destinos de ambos, ou seja, Michel Temer tem a sua vida associada ao país.

temer_brasil

A conjunção entre Vênus dos dois mapas aponta sua capacidade de articulação junto ao meio empresarial bem como, a credibilidade que dispõe para fazer funcionar a relação “indústria e comércio”. Esta característica é reforçada pela posição de Marte em seu mapa, em Virgem e na Casa I.

Michel Temer possui a conjunção entre Júpiter e Saturno em Touro, formando uma conjunção com Saturno do mapa do Brasil. Esta combinação sugere uma reorganização das contas públicas, seguindo padrões tradicionais, afasta qualquer tipo de desvario. Ao contrário, sugere que a cartilha econômica seguida por Michel Temer será conservadora e óbvia.

Marte, que citei acima, forma uma conjunção com Mercúrio, regente do Sol, todos em Virgem. Mercúrio governa ainda a conjunção existente entre Júpiter e Lua, no mapa do Brasil. Considerando que a Lua de Michel Temer se encontra a pouco menos de 2° de seu Meio-Céu, a expectativa é que, ao assumir, adote um discurso mais inflamado, pragmático e eficiente ao anunciar as primeiras medidas para conter a crise que tanto tem atingido a população e a classe trabalhadora.

Entretanto, não podemos esquecer que Michel Temer é articulador hábil e a sua principal “arma” será governar com amigos em quem confia, podendo, graças às suas relações e credibilidade, montar o tal do “gabinete de notáveis”.

Para finalizar este primeiro artigo a respeito do vice-presidente, que apesar de ser filiado ao PMDB desde 1981, mantém ótimas relações com o PSDB através dos amigos José Serra, FHC e Mário Covas (falecido em 2001). E como diz o ditado: “Quem tem amigo, não morre pagão…

, , ,

4 Comentários

342º Sim na Câmara dos Deputados

O primeiro passo para o impedimento da Sra. Presidente acabou de ser dado.

No mapa abaixo, ao centro, encontramos o mapa da Independência do Brasil, que conta com a conjunção entre Júpiter e Lua em Gêmeos (o povo bom, mas que se apequena). Esta conjunção se repete no mapa da aprovação do pedido de impedimento, em Virgem (distando 29′ um do outro), formando uma conjunção com o Sol. Há também uma conjunção da Parte da Fortuna ao Descendente.

Em poucas palavras, trata-se de uma ocasião histórica em que a lei e o desejo popular prevaleceram sobre aqueles que buscam apenas se apropriar do patrimônio da nação. A combinação citada acima forma uma quadratura, indicando que o debate popular apenas está começando. De fato, esta combinação revela a existência de conflitos verbais e disputas, que ainda virão por aí.

Vênus em quadratura ao Ascendente e no Fundo do Céu (dos trânsitos) corresponde ao acompanhamento televisivo, que deixou claro o voto de cada um e pode ter prejudicado o futuro eleitoral de vários deputados.Forma um trígono com Vênus do mapa da Independência: ainda há o que ser feito para que o impedimento de fato ocorra.

Acredito que o encaminhamento ao Senado ocorra com celeridade, embora nesta Casa, não se possa esperar a mesma agilidade que vimos na Câmara dos Deputados (Júpiter se encontra retrógrado).

E com respeito à violência, tanto Saturno como Marte se encontram ambos retrógrados em Sagitário: existirão incidentes isolados. Até meados de junho assistiremos a uma nação sem rumo ou direção justamente em razão da posição destes dois astros.

Trata-se apenas de uma avaliação breve, ainda sem a devida reflexão de outros movimentos e implicações, apenas para registrar as minhas primeiras impressões.

impedimento2

 

, , , , , , ,

Deixe o seu comentário

Os caminhos do ex-presidente

Algumas pessoas tem me perguntado a respeito do destino do ex-presidente Lula, em razão das diversas investigações da operação Lava-Jato. Irá fugir para a Itália, como noticiado? Pedirá asilo político na Bolívia? Será preso?

lula_emcasaPrendê-lo é emblemático e pode causar grande comoção emocional. Trata-se de um risco que só vale a pena correr em caso de existirem provas indiscutíveis, sem qualquer margem a questionamentos. Os indícios sugerem que ele foi um dos principais articuladores do esquema de desvio do dinheiro público através dos contratos milionários e das compras de votos. Indícios não são suficientes para incriminar ninguém.

O ex-presidente não é, entretanto, o inventor do esquema, a “mente” articuladora das fraudes e desvios que vem sendo descobertas através das investigações. Falta-lhe capacidade intelectual para elaborar um sistema tão complexo e com tantos tentáculos. A figura por trás de todos os “propinodutos” é outra. Já está cumprindo pena, mas acredito que não tenha revelado sequer um terço de tudo o que sabe. Sua biografia fala por si, basta identificar quem era o núcleo fundador do PT e verificar quem esteve envolvido em movimentos subversivos em 1964 e qual a sua atuação à época.

Mesmo não sendo o mentor do plano de extorsão, não é peixe-pequeno, uma vez que sua liderança é inconteste. Após ter deixado a Presidência, continuou interferindo direta e indiretamente nas decisões políticas e econômicas de sua sucessora. A avaliação astrológica de sua natividade aponta na mesma direção.

As Direções Secundárias de Placidus são uma das maneiras de avaliar o que há de significativo ocorrendo na vida do nativo durante um certo período.

Entre 05/2016 e 05/2017, o Meio-Céu progredido forma uma conjunção com Mercúrio natal (em Escorpião, Casa XII, regente da VII e MC). Uma das interpretações deste astro natal corresponde à sua atividade enquanto lobista, embora seja também indicador de vigarice. A progressão do MC aponta que estas atividades tornaram-se públicas e conhecidas de seus adversários como resultado de investigações que vem sendo mantidas em segredo. O clímax desta direção ocorreu em 11/2015.

O trígono de Vênus com o Meio-Céu lhe é favorável, ao menos por enquanto. Diz respeito ao carisma popular e o temor que desperta entre os seus correligionários e “companheiros”. Favorece a atuação que vem realizando neste momento para impedir a aprovação do impedimento de sua pupila. Esta configuração se encontra em vigor entre 08/2015 e 08/2016, com clímax em 02/2016.

Os demais aspectos indicam situações menores, como viagens, por exemplo. Não há nenhuma indicação importante antes das duas direções indicadas para 03/2018. Estas são as únicas que sugerem algum constrangimento para o ex-presidente, sem necessariamente se tratar de uma prisão.

Lula Sec 02

Os trânsitos de Marte são indicadores das atividades que ocorrem no cotidiano. Em 16/09/2016, com margem de +/- 2 dias, Marte transita o Ascendente. Trata-se de um divisor de águas em sua vida. Apenas nesses dias há a possibilidade de ser decretada a sua prisão temporária, algo que não acredito que venha a ocorrer de fato, como expus acima. Esta é, porém, a época em que o ex-presidente toma decisões importantes pois a investigação em curso terá elementos suficientes para chamá-lo a depor.

Lula Sec 03

Saturno transita perigosamente na região do Ascendente de seu mapa natal, especialmente entre os meses 02 a 06/2015 e novamente entre 10 e 11/2016. Particularmente no mês de novembro, Marte se opõe à conjunção entre Saturno, Marte e Lua na VIII. Esta é uma época em que ele terá de explicar ou justificar como certos benefícios lhe chegaram às mãos bem como, o enriquecimento meteórico de seus familiares, particularmente seus filhos. Este trânsito limita os seus poderes e cria obstáculos para ser empossado, bem como, dificulta o seu trânsito no STF.

Até a presente data não veio a público nenhuma associação entre o ex-presidente e contas no exterior. É muito provável que esteja em nome de seus filhos…

,

Deixe o seu comentário

Manifestações e confrontos

encrenca_localizada

O mapa da esquerda representa a 1ª conjunção de Marte com o Meio-Céu do Mapa da Independência do Brasil, ocorrida em 10/03/2016, ainda antes das manifestações de 13/03. Esta é uma típica indicação de mudanças no âmbito do governo do país. Saturno em Sagitário corresponde à insistência da Presidente em permanecer à frente de seu mandato.

Tanto Marte como Saturno se encontram à disposição de Júpiter, exilado em Virgem, que forma a 1ª quadratura com Saturno em 23/03/2016 (seus efeitos, entretanto, podem ser sentidos com cerca de duas semanas de antecedência, estendendo-se por igual período após a data acima). Esta quadratura representa a queda de braço entre a Justiça e a Presidente, que tem a sua competência contestada.

Com Marte participando deste enredo e, principalmente por se tratar do Signo de Sagitário, que tem natureza bélica, há um forte clima de animosidade no ar e uma predisposição à violência. Por ocasião da manifestação, graças à disposição de Júpiter sobre Marte, prevaleceu a ideia de que a Justiça poderia mudar os rumos da nação através de um trabalho eficiente e diligente.

Porém, embora Júpiter se encontre exilado, está numa Casa Astrológica angular, o que o torna acidentalmente importante, relevante e significativo, representando um “adversário” ao governo. O Signo em que está pode tranquilamente representar o papel de “limpeza” que a Justiça vem exercendo neste caso.

Gostaria de olhar para adiante e, o mapa seguinte, à esquerda, representa a 2ª conjunção de Marte, agora retrógrado, forma com o Meio Céu do mapa da Independência do Brasil em 22/05/2016. Note que em ambos os mapas ocorre a quadratura entre Júpiter e Saturno. Há diferenças entre as quadraturas de março e maio:

  • 23/03/2016: Júpiter retrógrado com Saturno direto/estacionário, Governo com algum poder de manobra, Justiça se organizando.
  • 26/05/2016: Júpiter direto com Saturno retrógrado, Justiça atuante e Governo se encolhendo.

Note a conjunção de Júpiter sobre o Sol do mapa da Independência do Brasil nas duas ocasiões das conjunções de Marte. Observe ainda a posição da Lua por ocasião da 2ª conjunção de Marte, separando-se de Marte retrógrado e aplicando-se a Saturno. Há uma boa possibilidade de renúncia nestes dias, para tentar conter o aumento da violência nas ruas, o que justificaria a intervenção das Forças Armadas para restabelecer a ordem.

É bom lembrar que, durante todo o período estudado Saturno (governo) estará à disposição de Júpiter (Justiça).

Porém, se ela resistir ao mandato, será destituída nos primeiros dias de agosto.

, , , , , ,

Deixe o seu comentário

Encrenca à vista…

Os ciclos se repetem e normalmente, são indicadores de acontecimentos que se repetem de maneira semelhante.

Encontra-se em formação a quadratura entre Júpiter (Virgem, exilado) e Saturno (Sagitário), onde o primeiro dispõe sobre o segundo. Esta configuração, por si só, não tem o poder de mudar absolutamente nada, mas é um forte indicador de tensão que impele a mudanças de natureza ética e econômica.

O Signo de Sagitário tem uma forte componente belicista, governa a Cavalaria (hoje em dia, com tanques e helicópteros). E neste Signo, também encontramos Marte, este sim, o soldado por excelência. Este astro ficará retrógrado a partir de 17/04, funcionando como um rastilho de pólvora e disparando os eventos de maneira errática e imprevisível. Quando me perguntaram a respeito das manifestações, eu olhava para ainda mais distante, com a visão voltado para a Europa (refugiados) e o Oriente Médio (conflitos armados).
Na verdade, a minha expectativa para os próximos três meses é de catástrofes, incêndios, explosões, atentados… E muitas mortes violentas.

As configurações que vivemos atualmente são semelhantes àquelas vividas entre fevereiro e abril de 1986. Logo no início do ano, ocorreu a quadratura entre Júpiter (Peixes, domiciliado) com Saturno (Sagitário). Marte também transitava em Sagitário e formou uma conjunção com Saturno. Vênus se encontrava perigosamente no Signo de Áries. E Mercúrio ficou retrógrado entre 06 e 30 de março.

São configurações muito semelhantes a que experimentaremos em breve. Porém, há uma componente adicional, uma vez que a quadratura entre Júpiter e Saturno ocorre em duas ocasiões: 23/03/2016, Júpiter retrógrado e Saturno direto/estacionário; e 26/05/2016, com Júpiter direto e Saturno retrógrado. Num primeiro momento, a tensão entre estes dois astros não se apresenta, é contida e represada. Extravasa-se a partir da segunda quadratura.

Marte não formará nenhuma conjunção com Saturno neste momento. É Vênus que faz a ligação entre ambos, o que torna os eventos menos catastróficos, mais pontuais e de menores proporções em relação àqueles ocorridos em 1986. Gostaria de lembrar que, para os Maias, o planeta Vênus representava a deusa da guerra. E é Ptolomeu que afirma em um de seus aforismos que Vênus transitando por Hamal (estrela) resulta em guerra e morte de reis.

A minha expectativa é um aumento de incêndios significativos com mortes e também, um aumento no número de atentados. Como um todo, um período (março a maio de 2016) com mais acidentes e mortes violentas em relação ao mesmo período do ano passado. A retrogradação de Mercúrio em Touro tende a abrandar o alcance dos desastres, ou seja, serão eventos localizados e não grandiosos como os ocorridos no início de 1986.

O diagrama abaixo ilustra os trânsitos de março a maio e as datas em que ocorrem:

encrenca

Compare com os desastres e catástrofes ocorridos em 1986. Note que ocorreram num intervalo de quatro meses:

  • 17/01/1986: Incêndio do Edifício Andorinha (Rio de Janeiro).
  • 28/01/1986: Explosão do ônibus espacial Challenger.
  • 31/03/1986: Explosão do Boeing 727 na Cidade do México, matando todos os 168 ocupantes.
  • 05/04/1986: Explosão na Boate La Belle (Berlim), matando duas pessoas e deixando 155 feridos.
  • 26/04/1986: Explosão do reator nuclear de Chernobyl (Ucrânia), 400 vezes mais potente que a Bomba de Hiroshima.

Sendo assim, conclamo que todos aqueles que puderem orar ou realizarem alguma prática que contribua para a maior harmonização da humanidade e das energias de nosso planeta, que não deixe de fazê-lo, para atenuar as consequências das configurações acima listadas.

, , , , , ,

1 Comentário

Na corda bamba

meiopauEscrevi recentemente um artigo sobre as principais tendências para o Brasil em 2016. Neste artigo detalharei uma configuração particularmente associada à crise que deve se desenrolar nos próximos meses.

Os grandes acontecimentos mundiais e nacionais são indicados pelos trânsitos e ciclos descritos pelos planetas Júpiter e Saturno. Em Tendências para o Brasil em 2015, apresento as datas relativas ao início deste ciclo, iniciado em 1980 (com a tripla conjunção de Saturno e Júpiter no Signo de Libra) e que tem o surgimento da social-democracia e dos principais partidos políticos entre os seus eventos mais importantes. Portanto, vale a pena ler este artigo para uma retrospectiva e avaliação dos antecedentes históricos antes de seguir adiante.

Atualmente, Júpiter se encontra retrógrado no Signo de Virgem, na Casa VII do Mapa do Brasil, aplicando-se ao Sol do mapa em questão. Saturno se encontra em Sagitário, retrógrado a partir do dia 25/03/2016, na Casa X do mesmo mapa, governado por Júpiter e, até o final de junho, formando uma quadratura com o Sol.

Em Março, Júpiter retrógrado formará uma quadratura com Saturno, estacionário. Em Maio, esta quadratura ocorrerá com Júpiter em movimento direto e Saturno, retrógrado. Trata-se de uma quadratura minguante, que aponta para a conclusão de um ciclo de 20 anos, ocorrendo em Dezembro de 2020.

Em Pois é… (Previsões para o Brasil 2016) assinalei que estas quadraturas de Saturno ao Sol indicam a falta de confiabilidade popular em relação ao governo, numa época marcada por manifestações sociais, algumas violentas.

transitos

Em A Grande Degeneração, de Nyall Fergusson, publicado em 2013, o autor postula que após a Depressão de 2008, a economia está se degenerando. Cita quatro razões: o governo representativo, o livre mercado, o Estado de Direito e a sociedade civil, que são só quatro pilares de sustentação da nossa sociedade, funcionando em condições de grande fragilidade. O autor cita inda um fenômeno verificado nos últimos anos em nosso país, onde o Estado de Direito se torna tão poderoso a ponto de interferir nos rumos do governo e da economia, consequentemente, na sociedade civil.

As investigações ocorridas no Brasil, desde o escândalo do Mensalão e que desaguaram na Operação Lava Jato mudaram o foco do poder, que atualmente se encontra nos Tribunais. Desde o início das investigações, representantes de algumas categorias profissionais chaves já foram julgados e eventualmente, até presos: financistas, dirigentes empresariais e sindicais, e até políticos. E mesmo que não houvessem todos estes escândalos, vivemos uma época mundial de marcos regulatórios, protocolos e sistemas, instalados por algum tipo de autoridade representante do Estado de Direito.

As configurações acima citadas lidam exatamente com esta queda de braço entre os Tribunais e o Congresso (em tese, representantes do povo). O período compreendido entre a 2ª quinzena de Março e a 1ª quinzena de Junho deve marcar a remoção de Eduardo Cunha da presidência da Câmara dos Deputagdos. Ele tem servido de escudo para que o processo de impedimento da Presidente Dilma não avance e, consequentemente, criado obstáculos para que as investigações sobre o ex-presidente Lula não respinguem no Planalto.

Há outra investigação em curso, com o objetivo de apurar eventuais irregularidades com respeito. aos bens e propriedades de Lula, que se desenvolve de maneira independente daquela que apura a corrupção entre as empreiteiras, empresas estatais e políticos, notadamente do PT. Trata-se também de uma disputa de poder, com os Tribunais levando a melhor.

Como assinalei no artigo anterior, as datas importantes para este período são:

  • Março a início de junho: quadratura de Júpiter com Saturno.
  • Março a junho: conjunção de Júpiter com o Sol.
  • 10/03, 16/05 e 11/08/2016, +/- 2 dias: Marte em conjunção ao Meio-Céu, direto, retrógrado e direto, respectivamente.

Em especial, os trânsitos de Marte assinalarão os dias de maior tensão no cenário político e econômico de nosso país. Há uma convocação para uma mega-manifestação marada para 12/02/2016. Havendo fatos novos, servirão de estímulo para que a revolta e o inconformismo tornem esta manifestação mais significativa do que se apresenta atualmente.

Deixe o seu comentário